Costa responde a Schäuble e diz que “contra factos não há argumentos”

  • Lusa
  • 15 Março 2017

A resposta do primeiro-ministro, António Costa às declarações do ministro das Finanças alemão é dada com os números positivos da economia portuguesa. Para Costa "contra factos não há argumentos".

O primeiro-ministro respondeu hoje com dados económicos positivos da economia portuguesa, salientando que “contra factos não há argumentos”, depois de o ministro das Finanças alemão ter dito que Portugal se deve certificar da necessidade de um novo resgate.

“Os números são simples: 2,1% de défice, o melhor em 42 anos de democracia, 2% de saldo primário positivo, diminuição de um ponto da dívida líquida, estabilização da dívida bruta e começo da redução, estabilização do sistema financeiro, criação de 118 mil postos de trabalho líquidos. Estes são os números. E contra factos não há argumentos”, declarou António Costa.

O primeiro-ministro respondia aos jornalistas, no Porto, à saída da cerimónia de inauguração do Centro Tecnológico da Euronext, que vai criar 120 postos de trabalho.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, disse hoje que Portugal se deve certificar de que “não precisa” de um resgate e lembrou que a pressão imposta pelos planos de resgate “funcionou bem”.

“Certifiquem-se de que não precisam de resgate”, disse o ministro alemão numa conferência de imprensa em Berlim, citado pela agência financeira Bloomberg.

António Costa afirmou ainda que há “empresas estrangeiras que apostam e confiam em Portugal” assim como há “empresas alemãs que estão em Portugal e que estão a alargar o seu investimento em Portugal”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Costa responde a Schäuble e diz que “contra factos não há argumentos”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião