António Costa encara 2017 “com confiança”

  • Lusa
  • 15 Fevereiro 2017

O primeiro-ministro valorizou hoje a indicação dada pelo ministro das Finanças de que o défice orçamental de 2016 não será superior a 2,1% do PIB.

O primeiro-ministro, António Costa, valorizou hoje a indicação dada pelo ministro das Finanças de que o défice orçamental de 2016 não será superior a 2,1% do PIB, sustentando que 2017 pode ser encarado, também nesta matéria, “com confiança”.

O chefe do Governo lembrou que, “hoje mesmo”, o ministro Mário Centeno assegurou no parlamento que o défice orçamental de 2016 não será superior a 2,1% do PIB.

“Isto significa um resultado que é mais promissor do que aquilo que era a previsão mais otimista que o Governo apresentou no início de 2016“, acentuou Costa.

E prosseguiu: “Podemos encarar este ano de 2017 com confiança, ao verificar que até instituições europeias que habitualmente têm manifestado algum ceticismo apresentam hoje previsões de crescimento [para Portugal] mais otimistas que o próprio Governo tem assumido”.

António Costa falava no aeroporto de Lisboa, na assinatura do memorando de entendimento entre o Governo e a ANA – Aeroportos de Portugal, texto assinado depois de o aeroporto de Lisboa ter ultrapassado os 22 milhões de passageiros em 2016 cinco anos antes do calendário previsto no contrato de concessão.

O calendário para efetivar a escolha do Montijo como aeroporto complementar de Lisboa prevê que até novembro deste ano sejam completados os estudos ambientais, enquanto na primeira metade de 2018 serão concluídas a avaliação ambiental e a negociação contratual com a ANA.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

António Costa encara 2017 “com confiança”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião