Empresas islandesas vão ter de pagar o mesmo a homens e mulheres

  • Juliana Nogueira Santos
  • 6 Abril 2017

O Governo do país com menor diferença salarial entre homens e mulheres anunciou uma lei que obriga as empresas a pagarem o mesmo a funcionários com a mesma função, independentemente do sexo.

A Islândia lidera a lista de países com menor diferença salarial entre homens e mulheres, contudo, isto não é suficiente. O Governo islandês anunciou uma nova lei que obriga as empresas públicas e privadas a pagarem de forma igual a funcionários que desempenham a mesma função, independentemente do género, etnicidade, sexualidade ou nacionalidade.

Para cumprir o objetivo final, que será acabar a diferença salarial baseada no género até 2022, as empresas com 25 ou mais funcionários terão de entregar provas de que oferecem a mesma remuneração a trabalhadores com a mesma função.

“Igualdade de direitos faz parte dos direitos humanos”, afirmou Thornsteinn Viglundsson, ministro da Igualdade e dos Assuntos Sociais. “Precisamos de ter a certeza que homens e mulheres dispõem de oportunidades iguais no sítio onde trabalham. É nossa responsabilidade tomar qualquer medida para atingir isto.”

Em média, as mulheres islandesas ganham 14 a 18% menos que os homens. Existem já leis em vigor para que este número deixe de ser uma realidade, como a imposição de quotas mínimas nas administrações empresariais e nos gabinetes do Governo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas islandesas vão ter de pagar o mesmo a homens e mulheres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião