BCE aprovou nova administração do Novo Banco

Rui Cartaxo é o novo chairman, anunciou o Novo Banco este sábado. António Ramalho mantém-se como presidente da comissão executiva.

O Banco Central Europeu (BCE) já aprovou a nova administração do Novo Banco, onde se inclui Rui Cartaxo, que será agora o chairman da instituição, e Isabel Ferreira, que vai para a comissão executiva.

Em comunicado enviado esta noite às redações, o Novo Banco divulga a lista dos novos administradores, detalhando que o Fundo de Resolução aprovou estes nomes no dia 21 de dezembro. Já o BCE aprovou o novo conselho de administração e comissão executiva esta sexta-feira.

“Está assim prestes a ficar completa a equipa que irá assegurar a continuação do Novo Banco”, refere a nota do banco.

O conselho de administração do Novo Banco será agora liderado por Rui Cartaxo, que assume o cargo de chairman. O antigo presidente da REN era, até agora, consultor do conselho de administração do Banco de Portugal.

a comissão executiva continuará a ser liderada pelo atual presidente do banco, António Ramalho, e contará com novos nomes: Isabel Ferreira, antiga presidente do Best, fica com a pasta da rede de particulares; Luísa Soares da Silva, anteriormente partner da sociedade MLGTSS, ficará responsável pela área jurídica; Rui Fontes, que já estava no Novo Banco como diretor de risco, passa para a administração do banco; e José Eduardo Bettencourt, que já tinha sido chefe de gabinete do anterior presidente, também passa para a administração.

Vítor Fernandes e Jorge Freire Cardoso mantêm-se como administradores. A comissão executiva passa, assim, a ser composta por sete membros.

Com a alteração de estatutos, o banco passará, ainda, a contar com uma comissão de auditoria e um revisor oficial de contas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCE aprovou nova administração do Novo Banco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião