Produção da EDP Renováveis cresce no primeiro trimestre

  • Lusa
  • 18 Abril 2017

A empresa liderada por Manso Neto, que está a ser alvo de OPA da EDP, aumentou a produção de energia limpa nos primeiros três meses do ano.

A EDP Renováveis aumentou a produção de energia limpa em 2% nos primeiros três meses deste ano face ao mesmo período de 2016, para um total de 7,7 terawatt hora (TWh), segundo os dados operacionais hoje libertados pela empresa.

No relatório de produção e capacidade do primeiro trimestre do ano, enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a EDP Renováveis (EDPR) explicou que “o aumento da produção beneficia das adições de capacidade durante os últimos 12 meses (+702 megawatt) que compensou o menor recurso eólico vs [‘versus’] as excecionais condições eólicas registadas no primeiro trimestre de 2016”.

Entre janeiro e março, as operações da EDPR na Europa e na América do Norte geraram 44% e 54% do total da produção, respetivamente.

Na Europa, a geração recuou 11% face ao período homólogo de 2016 para 3,4 TWh, “com a comparação anual impactada pelo excecional recurso eólico no primeiro trimestre de 2016 na Europa”, que compara com “um recurso eólico normalizado no primeiro trimestre de 2017”, realçou a energética.

Na América do Norte, a produção da EDPR aumentou em 13%, totalizando 4,2 TWh, “refletindo o crescimento da capacidade instalada e o superior fator de utilização relativo a estes novos projetos”, informou a companhia.

Já no Brasil, a produção aumentou para 147 gigawatt (GWh) “como consequência das adições de capacidade com um recurso eólico mais forte”, justificou a EDPR.

Nos primeiros três meses do ano, a EDPR atingiu um fator de utilização de 36%, “refletindo um recurso eólico normalizado” e “as adições de capacidade com superiores fatores de utilização”, revelou a empresa, acrescentando que a comparação anual é “impactada pelo excecional recurso eólico registado no primeiro trimestre de 2016”.

Em março, a EDPR geria um portefólio de 10,4 GW em 11 países, dos quais 5,3 GW na Europa (2,4 GW em Espanha, 1,5 GW no RdE [resto da Europa] e 1,3 GW em Portugal), 5,0 GW na América do Norte e os restantes 0,2 GW no Brasil.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Produção da EDP Renováveis cresce no primeiro trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião