Lisboa: Aeroporto disponibilizou 328 camas e 1.000 refeições

  • Lusa
  • 11 Maio 2017

O aeroporto de Lisboa disponibilizou 328 camas de campanha e mais de mil refeições aos passageiros que viram os voos serem cancelados na sequência de uma avaria no sistema de abastecimento.

A ANA — Aeroportos de Portugal disponibilizou 328 camas de campanha e distribuiu mais de 1.000 refeições aos passageiros que viram os seus voos cancelados na sequência de uma avaria no abastecimento de aviões no Aeroporto de Lisboa. Em comunicado, a empresa explicou ter ativado o plano de emergência devido às “significativas perturbações” causadas pela avaria detetada pelas 12h00 de quarta-feira e que só ficou resolvida pelas 00h30 de hoje.

O plano de emergência “possibilitou o regresso à normalidade hoje pelas 10h30”, lê-se na nota, que dá conta da criação de zonas de repouso, a disponibilização de 328 camas de campanha e a distribuição de mais de 1.000 refeições aos milhares de passageiros com voos cancelados.

A DECO — associação de defesa dos consumidores considerou hoje que “não foram acautelados os direitos dos passageiros” no aeroporto, o que “é inaceitável”, adiantando ter pedido reuniões com a ANA e com a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) para encontrar uma solução que proteja as pessoas lesadas. Como alternativa ao sistema de abastecimento foram utilizados quatro camiões-cisterna, indicou a empresa, que “solicitou às autoridades competentes a identificação das causas exatas desta situação anómala”.

A ANAC anunciou esta manhã a abertura de um processo de averiguações à avaria no sistema de abastecimento de aviões no Aeroporto Humberto Delgado, para “apurar as circunstâncias da falha e futuras medidas a tomar”. Fonte oficial da ANAC, regulador do setor da aviação, disse que “decidiu abrir um processo de averiguações e encontra-se a efetuar as diligências necessárias de forma a apurar as circunstâncias da falha e futuras medidas a tomar, com vista a garantir que a situação de inoperacionalidade de ontem não se volte a verificar”.

Entretanto, o Sindicato da Indústria e Comércio Petrolífero (SICOP) afirmou à Lusa que o problema no abastecimento está associado à greve, que se iniciou sábado e terminou hoje, dos trabalhadores da Petrogal. “Para nós, o problema [no Aeroporto de Lisboa] não está dissociado do facto de estarmos em greve”, afirmou o presidente do SICOP, Rui Pedro Ferreira. Já em comunicado, a federação do setor, a Fiequimetal, questionou “se será apenas coincidência o facto de ter acontecido hoje [na quarta-feira] uma estranha avaria no sistema de bombagem de combustível do Aeroporto Humberto Delgado”.

Contactada pela Lusa, fonte oficial do GOP — Grupo Operacional de Combustíveis, liderado pela Petrogal e que reúne as principais petrolíferas, responsável pelo abastecimento dos aviões, disse que “está já a decorrer o processo para determinar a origem do incidente ocorrido, aguardando-se as respetivas conclusões”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa: Aeroporto disponibilizou 328 camas e 1.000 refeições

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião