Governo diz que 2,8% iguala o melhor crescimento do século

  • Margarida Peixoto
  • 15 Maio 2017

Mário Centeno reage com otimismo ao número revelado esta segunda-feira pelo INE. Numa nota enviada às redações, o gabinete de imprensa frisa que o crescimento é "sustentável" e equilibrado.

“Iguala o valor mais elevado deste século” — é assim que o Ministério das Finanças reage ao crescimento de 2,8% do PIB, no primeiro trimestre de 2017, conforme revelou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística.

Numa nota enviada às redações, o gabinete de imprensa do ministro Mário Centeno frisa que este crescimento ocorre num contexto em que o défice das administrações públicas “atingiu o valor mais baixo da democracia” e adianta que esta é uma tendência “que se mantém no primeiro trimestre”.

O Governo frisa que os dados do INE indicam que “a aceleração do crescimento está fundamentalmente associada a um maior dinamismo das exportações e do investimento”, o que o Executivo garante atestar “a natureza sustentável e equilibrada do atual padrão de crescimento da economia portuguesa.” Na reação aos números do INE, o primeiro-ministro António Costa também já frisou a confiança no dinamismo económico, apontando para um “ciclo virtuoso”.

Mário Centeno aproveita ainda para notar que as expectativas do Governo que serviram de base ao desenho tanto do Orçamento do Estado para 2017, como, mais recentemente, do Programa de Estabilidade foram superadas. Por isso, frisa que os números reafirmam “a solidez dos cenários macroeconómicos subjacentes a estes documentos”.

No Programa de Estabilidade, o Governo reviu em alta a meta de crescimento deste ano para 1,8%. No Orçamento do Estado o valor inscrito era de 1,5%.

O Governo compromete-se a “continuar a trabalhar para estimular o crescimento económico inclusivo, com criação de emprego, coesão social e consolidação sustentável das contas públicas que permita a convergência com a Europa.”

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo diz que 2,8% iguala o melhor crescimento do século

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião