PIB cresceu 2,8% no primeiro trimestre deste ano

  • Margarida Peixoto
  • 15 Maio 2017

A economia nacional cresceu 2,8% no primeiro trimestre de 2017, revelou o Instituto Nacional de Estatística. As exportações cresceram mais do que as importações e o investimento acelerou.

A economia nacional cresceu 2,8% no primeiro trimestre de 2017, revelou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE), numa primeira estimativa. Este é o melhor registo desde o quarto trimestre de 2007. Superou todas as estimativas.

No último trimestre de 2016, a economia portuguesa já tinha crescido 2% em termos homólogos. A expectativa dos analistas para o PIB do primeiro trimestre era de um aumento entre 2,4% e 2,7%.

O INE adianta que “esta aceleração resultou do maior contributo da procura externa líquida, que passou de negativo para positivo”. Este contributo foi possível porque as exportações de bens e serviços cresceram mais do que as importações.

Fonte: INE

Ao mesmo tempo, “a procura interna manteve um contributo positivo elevado, embora inferior ao do trimestre precedente”. O INE estima ainda que o consumo privado desacelerou, mas o investimento aumentou de ritmo.

Quando comparado com o final de 2016, a economia nacional cresceu agora 1% — valor que também representa um aumento de ritmo, uma vez que nos últimos três meses do ano passado o crescimento em cadeia tinha sido de 0,7%.

Também nesta ótica de análise o crescimento mais acentuado do PIB está justificado pelo aumento das exportações. Contudo, em termos trimestrais, o investimento abrandou, principalmente devido ao contributo negativo da variação de existências, explica o INE.

Os resultados mais aprofundados das contas nacionais do primeiro trimestre de 2017 estão agendados para o próximo dia 31 de maio.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PIB cresceu 2,8% no primeiro trimestre deste ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião