Número de subsídios de desemprego aumenta ligeiramente em abril

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 19 Maio 2017

O número de beneficiários aumentou em termos mensais, depois de quatro meses de quebra. Medida extraordinária de apoio aos desempregados atinge agora o valor mais elevado.

Depois de quatro meses consecutivos de descidas, o número de beneficiários de subsídio de desemprego aumentou ligeiramente em abril, face ao mês anterior. A Segurança Social pagou então 211.431 prestações, mais 1.146 (ou 0,5%) do que em março.

Em comparação homóloga, o número continua em queda — há já 42 meses — mas a redução de 12,7% agora sentida é a menos pronunciada desde o final do ano passado, de acordo com os dados atualizados esta sexta-feira pela Segurança Social.

Número de beneficiários de prestações de desemprego

Fonte: Segurança Social

 

Estes 211.431 beneficiários abrangem não só pessoas que recebem o subsídio de desemprego como também subsídios sociais, atribuídos a desempregados inseridos em agregados de rendimentos reduzidos que não descontaram tempo suficiente para aceder à prestação “principal” ou já esgotaram o seu tempo de atribuição.

Além disso, está também aqui incluída a medida extraordinária de apoio aos desempregados, que atingiu agora o valor mais alto. Na base de dados da Segurança Social, o primeiro registo surge em julho de 2016, com 73 beneficiários. Os dados mais recentes apontam agora para 3.265 subsídios, o valor mais alto desde então. Em causa está um apoio pago durante seis meses a pessoas inseridas em agregados de baixos rendimentos que esgotaram o subsídio social de desemprego há mais de 360 dias.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Número de subsídios de desemprego aumenta ligeiramente em abril

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião