Um lar desfeito: Geringonça diverge sobre o alojamento local

  • ECO
  • 25 Maio 2017

O PS quer que sejam os condóminos a decidir se darão as boas vindas a turistas ou se fecham as portas do prédio a este negócio. BE teme conflitos entre vizinhos e vai apresentar outras propostas.

O PS lançou na quarta-feira uma nova proposta: os condóminos deverão decidir em assembleia se autorizam o arrendamento de curta-duração no edifício ou se não abrirão a porta aos turistas. Mas na Assembleia da República já existe discórdia: o BE teme “litigiosidade” entre os condóminos e por isso mesmo irá apresentar novas propostas ao parceiro da Geringonça.

A avançar a proposta do PS, os proprietários de alojamento local terão de juntar aos documentos do registo um que comprove aprovação dos restantes condóminos da sua atividade. O PCP concorda com o Governo que os restantes condóminos devem ter uma palavra a dizer, já que as estadias de curta duração podem ser incómodas para os restantes inquilinos. Já o BE diz que esta proposta “vai criar litigiosidade” e que, portanto, fica “aquém do esperado”, adianta o Jornal de Negócios (acesso condicionado).

No seio do grupo de trabalho designado para a questão do alojamento local, o BE já tinha avançado com duas propostas diferentes para esta resolver esta situação. Os esquerdistas propuseram quotas de condomínio mais elevadas para os proprietários das habitações de alojamento local. Por outro lado, a imposição de quotas de alojamento local por condomínio limitaria também o desconforto dos restantes vizinhos.

Nas próximas semanas esperam-se novas propostas tanto da parte do insatisfeito BE como do PCP.

Comentários ({{ total }})

Um lar desfeito: Geringonça diverge sobre o alojamento local

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião