Governo propõe bónus no IRS para trazer Agência Europeia do Medicamento para Lisboa

  • ECO
  • 1 Junho 2017

A Agência Europeia do Medicamento vai deixar Londres depois do Brexit. Se vier para Portugal, o Governo "oferece" um regime fiscal especial aos funcionários.

O Governo quer trazer para Lisboa a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês), que vai mudar de sede depois da saída do Reino Unido da Europeia, e tem um argumento de peso. Se a agência mudar a sede para território português, os cerca de 900 funcionários que emprega poderão beneficiar de um regime fiscal especial, noticia, esta quinta-feira, o Jornal de Notícias (acesso pago).

Segundo o mesmo jornal, Portugal propõe que o escalão máximo de IRS dos funcionários da agência não ultrapasse os 20%, ou seja, englobando os funcionários da EMA no regime fiscal para o residente não habitual que prevê esse teto em termos de IRS.

Na candidatura apresentada no início deste mês, o Governo justifica que “a presença da EMA é um fator de prestígio para o país que a acolhe e tende a atuar como polo de atração da presença da indústria farmacêutica, potenciando, em particular, as áreas de investigação e desenvolvimento e os ensaios clínicos”.

“Lisboa reúne as condições adequadas para acolher uma Agência com o perfil da EMA, tendo nomeadamente uma excelente localização geográfica, com boas acessibilidades, incluindo áreas, e capacidade hoteleira instalada. Lisboa é uma cidade moderna, cosmopolita e dotada de excelentes infraestruturas de transporte, comunicação, educação de nível e perfil internacionais e habitação condizentes com os mais elevados padrões de vida europeus, a par de um contexto económico competitivo”, pode ainda ler-se na candidatura.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo propõe bónus no IRS para trazer Agência Europeia do Medicamento para Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião