Portugal vai candidatar-se à Agência Europeia do Medicamento

A competição é grande contra os Estados-membros mais desenvolvidos na área da saúde, mas o Governo vai avançar com uma candidatura oficial à Agência Europeia do Medicamento.

O Governo aprovou esta quinta-feira em Conselho de Ministros a candidatura oficial para ser a futura sede da Agência Europeia do Medicamento (EMA), depois da saída do Reino Unido da União Europeia. O Executivo português quer que a EMA fique em Lisboa, mas tem a concorrência de vários países europeus, nomeadamente da França e da Holanda que oficializaram as suas candidaturas na semana passada. A EMA é a agência que avalia, supervisiona e monitoriza a segurança dos medicamentos dentro da UE, em conjunto com as autoridades nacionais que, no caso de Portugal, é o Infarmed.

“A presença da EMA é um fator de prestígio para o país que a acolhe e tende a atuar como polo de atração da presença da indústria farmacêutica, potenciando, em particular, as áreas de investigação e desenvolvimento e os ensaios clínicos“, lê-se no comunicado divulgado após o Conselho de Ministros (CCN) desta quinta-feira. Para atingir esse objetivo, o governo vai criar uma Comissão de Candidatura Nacional que “será o suporte institucional para a organização e promoção da candidatura, através do estabelecimento de orientações, definição de estratégia, planeamento e determinação de meios e ações a desenvolver”.

“A CCN assegurará ainda uma transição eficiente da Agência para Lisboa de modo que não existam impactos negativos na atividade da Agência, essencial à saúde pública europeia”, refere ainda o comunicado.

O Governo argumenta que “Lisboa reúne as condições adequadas para acolher uma Agência com o perfil da EMA, tendo nomeadamente uma excelente localização geográfica, com boas acessibilidades, incluindo aéreas, e capacidade hoteleira instalada”. “Portugal têm também as capacidades técnicas e científicas para acolher a EMA, sendo que autoridade nacional reguladora do medicamento, o Infarmed, I.P., tem hoje uma posição cimeira no âmbito dos procedimentos de avaliação de medicamentos e na coordenação de comités e grupos de trabalho da EMA”, lê-se também no comunicado.

Atualmente estão em Portugal a Agência Europeia da Segurança Marítima e o Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência. Dado que este último é um dos principais parceiros da EMA, esta é outra razão para que a agência venha para Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal vai candidatar-se à Agência Europeia do Medicamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião