Investidores rumo a Lisboa… e às startups

  • Ana Batalha Oliveira
  • 5 Junho 2017

A Lisbon Investment Summit acontece terça e quarta-feira e quer ser o ponto de encontro entre investidores e startups.

São 1.600 participantes que tentarão estabelecer os melhores contactos para desenvolver o seu negócio na Lisbon Investment Summit (LIS). Um evento que convida startups e investidores a viajar até Lisboa e reforçar a posição da cidade como um centro de empreendedorismo.

A Beta-i organiza mais um evento de aceleração para startups, desta vez, virado para o investimento. O CEO, Pedro Rocha Vieira, clarifica os objetivos: “Os investidores internacionais já olham para Portugal com frequência, procurando oportunidades de investimento, e é isso que queremos potenciar com esta conferência.”

Durante os dois dias do evento, vão existir palestras e vários momentos de networking. Entre os participantes, estão confirmados 200 investidores, 100 oradores e 450 startups de 35 países diferentes. O primeiro-ministro, António Costa, o Presidente da CML, Fernando Medina e o secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, vão marcar presença como oradores.

O círculo de investidores em destaque dá a volta ao globo e abre com Marvin Liao da 500 Startups, continua com Carolina Brochado da Atomico, Javier Torremocha da Kibo Ventures, Fausto Boni da 360 Capital Partners, Foris Goldnen da Partech Ventures e fecha com Alexandre Barbosa da Faber Ventures.

Pedro Rocha Vieira continua: “O feedback que temos do Lisbon Investment Summit é que é um evento que promove relações muito próximas”. Através do comunicado de imprensa, a organização destaca a informalidade e dimensão humana. Qualidades que Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, acredita que importa manter, por serem distintivas de Lisboa como polo de empreendedorismo.

Para além da Câmara Municipal de Lisboa, o evento ainda conta com o apoio das aceleradoras do Grupo Mello e da Sonae, a Grow e a Bright Pixel, respetivamente.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa (mariana.barbosa@eco.pt)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Investidores rumo a Lisboa… e às startups

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião