Investimento com vistos gold sobe no semestre. Rende 600 milhões

  • Lusa
  • 11 Julho 2017

No primeiro semestre registou-se uma subida de 17% no investimento captado com vistos gold, face ao mesmo período de 2016. Montante investido chega aos 596 milhões de euros. China lidera.

O investimento captado através dos vistos gold subiu 17% no primeiro semestre, face a igual período de 2016, para 596 milhões de euros, de acordo com os dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) divulgados esta terça-feira.

Em junho, o investimento resultante da Autorização de Residência para a atividade de Investimento (ARI), também conhecido como vistos gold, atingiu os 39.250.091,91 euros, uma descida de 60% face a igual mês do ano passado (98.893.760,79 euros) e menos 14% face a maio (45.869.824,93 euros).

Do montante captado em junho, a maioria respeita a aquisição de imóveis (36.010.204,91 euros), enquanto o critério de transferência de capital totalizou 3.239.887 euros. No mês passado, foram atribuídos 61 vistos mediante investimento em Portugal, dos quais 58 por via do requisito de bens imóveis e três por transferência de capital.

Dos 58 vistos atribuídos por compra de bens imóveis, foram concedidos em junho mais cinco vistos para reabilitação urbana, no âmbito das novas regras de concessão que estão em vigor desde setembro de 2015. Até final do primeiro semestre tinham sido atribuídos 45 vistos dourados para reabilitação urbana, sendo que o primeiro do género foi concedido há quase um ano (em julho de 2016).

Investimento de 3,16 mil milhões de euros em cinco anos

No primeiro semestre, o investimento captado foi de 596.446.147,84 euros, uma subida de 17% face aos 508.959.258,80 euros registados nos primeiros seis meses do ano passado.

Em termos acumulados — desde que este tipo de instrumento, que visa a captação de investimentos para Portugal, começou a ser atribuído, em 8 de outubro de 2012 até junho último –, o investimento ascendeu a 3.163.623.092,46 euros. Deste montante, 309.936.690,95 euros foram captados por via da transferência de capital e 2.853.686.401,51 euros mediante o critério da compra de bens imóveis.

Desde a criação deste instrumento foram atribuídos 5.145 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016 e 943 este ano. Em termos acumulados, até junho foram concedidos 4.849 vistos pelo requisito da aquisição de bens imóveis, 288 por transferência de capital e oito pela criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

China lidera no número de vistos atribuídos

A China lidera a lista de ARI atribuídas (3.428 até junho), seguida do Brasil (423), África do Sul (192), Rússia (178) e Líbano (100).

As novas regras para a obtenção de vistos gold, que alargaram os critérios de investimento para cidadãos fora da União Europeia a áreas como reabilitação urbana e ciência, entre outras, entraram em vigor em 3 de setembro de 2015. Desde 2013 foram atribuídas 8.434 autorizações de residência a familiares reagrupados: 576 em 2013, 2.395 em 2014, 1.322 em 2015, 2.344 em 2016 e 1.797 em 2017.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Investimento com vistos gold sobe no semestre. Rende 600 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião