Nova emissão de obrigações para retalho só paga 1,6%

O Tesouro vai emitir um mínimo de 500 milhões de euros em OTRV. É mais uma emissão de títulos de dívida pública para retalho com vista à captação de poupanças dos emigrantes.

Vem aí uma nova emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV). O Governo aprovou a emissão de mais 500 milhões de euros nestes títulos de dívida destinados a pequenos investidores, sendo que o período em que decorre a nova oferta revela a tentativa de captar poupanças dos emigrantes. A taxa é a mais baixa de todas as emissões de OTRV. Paga um juro bruto de 1,6%.

As OTRV, nesta quinta emissão destes títulos, contam com “uma taxa de juro variável e igual à Euribor 6 meses definida no segundo ‘Dia Útil Target’ anterior ao início de cada período de juros, acrescida de 1,60%, com uma taxa de juro mínima de 1,60%”, diz o aviso da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) publicado no final da passada quarta-feira em Diário da República.

O prémio de 1,6% é o mais baixo do total de emissões já realizadas pela entidade liderada por Cristina Casalinho. Compara com o juro de 1,9% oferecido na última emissão realizada em março deste ano, mas também com as três operações realizadas no ano passado. Em novembro foi oferecido um juro de 2%, enquanto nas emissões de agosto e abril, as taxas foram de 2,05% e 2,2%, respetivamente.

500 milhões, mas pode ser mais

Estas “OTRV Agosto 2022” têm data de vencimento a 2 de agosto de 2022, com os juros a serem pagos semestral e postecipadamente em 2 de fevereiro e 2 de agosto de cada ano. A entrada destes títulos no mercado é a 2 de agosto, sendo que quem pretender aplicar as suas poupanças nestes títulos de dívida pública terá de colocar uma oferta durante o prazo de subscrição que decorre entre os dia 17 e 28 de julho de 2017, escreve o IGCP no seu site.

Esta nova emissão de OTRV mantém as características principais das quatro operações anteriores. Está disponível para montantes de investimento a partir de mil euros que podem ir até um máximo de um milhão de euros, sendo a subscrição realizada por múltiplos de mil euros. O IGCP pretende financiar-se em 500 milhões de euros, mas pode emitir mais. “Valor que poderá ser aumentado, por opção do emitente, até ao dia 21 de julho de 2017, inclusive”, diz o aviso do IGCP.

Aposta na poupança dos emigrantes

De recordar que as anteriores emissões de OTRV têm despertado muito apetite por parte dos pequenos investidores, em busca de formas de rentabilizarem as suas poupanças, perante a oferta pouco competitiva disponibilizada pelos bancos. Com as quatro emissões já realizadas, o Estado conseguiu 4.450 milhões de euros.

Apesar de a remuneração oferecida ser a mais baixa de sempre, não deverá ser difícil ao Tesouro colocar o total dos 500 milhões de euros que serão disponibilizados inicialmente, devendo mesmo poder vir a acontecer um aumento dessa quantia à semelhança das operações anteriores. Até pelo timing escolhido para a sua realização que coincide com o período em que muitos emigrantes portugueses regressam a Portugal para passar férias. Já no ano passado, o Tesouro realizou uma emissão de OTRV na mesma ocasião.

(Notícia atualizada às 10h55, com mais detalhes)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Nova emissão de obrigações para retalho só paga 1,6%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião