Macron: Trump vai procurar solução para aquecimento global nos próximos meses

  • Lusa
  • 16 Julho 2017

O chefe de Estado francês disse que o Presidente dos Estados Unidos lhe garantiu que ia procurar uma solução nos próximos meses relativamente à saída do país do acordo sobre alterações climáticas.

O chefe de Estado francês disse que o Presidente dos Estados Unidos lhe garantiu que ia procurar uma solução nos próximos meses relativamente à saída do país do acordo sobre alterações climáticas.

O Journal du Dimanche publica vários excertos da entrevista a Emmanuel Macron, em que o Presidente francês afirma que França “começou a construir com Trump uma relação de confiança sobre um conjunto de temas estratégicos, incluindo os desacordos”.

Entre estes temas está, em particular, a questão das alterações climáticas, depois de Donald Trump ter anunciado a retirada dos Estados Unidos da América do Acordo de Paris, um dos assuntos abordados no encontro que mantiveram na capital francesa na quinta-feira.

Donald Trump ouviu-me. Entendeu o sentido da minha ação, sobretudo o vínculo que existe entre o aquecimento global e o terrorismo. Disse-me que ia tratar de encontrar uma solução nos próximos meses”, afirmou Emmanuel Macron.

“Creio que também viu a mobilização das cidades, dos estados [no seu próprio país], do mundo dos negócios e da sua própria envolvente para que os Estados Unidos continuem comprometidos na luta contra o aquecimento” global, acrescentou o presidente francês.

Na conferência de imprensa conjunta que os dois chefes de Estado deram na quinta-feira depois desta entrevista, Donald Trump sugeriu que “algo poderá ocorrer” relativamente à sua posição quanto às alterações climáticas.

“Vamos ver o que se passa, mas falaremos quando chegar o momento. Se acontecer alguma coisa seria maravilhoso e se não se passar nada estará bem também”, disse o presidente norte-americano num comentário que dá lugar a múltiplas interpretações.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Macron: Trump vai procurar solução para aquecimento global nos próximos meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião