PS pondera repetir votação da comissão de inquérito à CGD

  • ECO
  • 3 Agosto 2017

Os socialistas estão a ponderar pedir a repetição da polémica votação do relatório da comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos. O PS diz que relatório "não foi rejeitado nem aprovado".

Há duas semanas, o presidente da comissão de inquérito à CGD deu por encerrados os trabalhos com o relatório final a ser chumbado. Foi um raro caso em que a maioria perdeu a votação devido à ausência de dois deputados, por uma questão de minutos. Agora que conhecem a ata dessa reunião, os socialistas contestam o seu resultado final, conta o Público desta quinta-feira.

Não foi nem rejeitado nem aprovado“, contesta o Partido Socialista, criticando a atuação de Emídio Guerreiro, deputado do PSD e presidente da comissão de inquérito à CGD. A tese dos socialistas é que, na prática, houve um empate sem repetição da votação com participação do seu presidente, o que iria desempatar, favoravelmente à direita.

“O presidente mostrou-se inflexível na interpretação do regulamento da comissão, mas quando há lacunas, rege-se pelo Regimento da Assembleia”, afirmou João Paulo Correia, o coordenador do PS na comissão de inquérito, remetendo para o artigo 99.º, que diz que quando há um empate, o debate e a votação têm de ser repetidos.

Os socialistas estão agora “a estudar a melhor reação”, assinalando que em setembro, com o regresso dos trabalhos parlamentares, podem tomar uma atitude. “A reunião foi confusa e não se chegou a uma solução porque o presidente bloqueou todas as soluções, quer a repetição, quer a nomeação de um novo relator”, criticou João Paulo Correia, acusado Emídio Guerreiro de estar “alinhado com o PSD”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PS pondera repetir votação da comissão de inquérito à CGD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião