Londres: 40 mil milhões para sair da UE são “especulação”

  • ECO e Lusa
  • 7 Agosto 2017

O Reino Unido descarta notícias de que poderá pagar 40 mil milhões de euros para sair da União Europeia. O gabinete de Theresa May fala em especulação.

O gabinete da primeira-ministra britânica Theresa May rejeita as notícias divulgadas este domingo por jornais como o The Telegraph de que o país se prepara para pagar até 40 mil milhões para sair da União Europeia. Trata-se de especulação, disse à Bloomberg um responsável que preferiu manter-se anónimo visto que as negociações ainda estão a decorrer.

A informação veiculada pelo The Telegraph, com base em três testemunhos anónimos, era de que os negociadores britânicos estariam dispostos a pagar a soma significativa para facilitar conversações acerca de uma entrada num acordo comercial. A notícia gerou confusão no Reino Unido, onde os apoiantes do Brexit se revoltaram contra este pagamento, qualquer o montante. “Não existe necessidade legal ou política de lhes oferecer nada, ponto final”, disse um deputado conservador, John Redwood, à rádio LBC, citado pela Bloomberg.

O ministro encarregue do Brexit no Governo de Theresa May, David Davis, disse ironicamente ao Sunday Times que a soma de 40 mil milhões em cima da mesa era “novidade” para si. Do lado da Comissão Europeia, chegou a resposta de que não haveria comentários sobre “rumores”.

O diálogo oficial sobre as condições da saída do Reino Unido começou em junho, mas Bruxelas insiste que a futura relação bilateral só começará a ser abordada depois de estarem clarificadas questões como a dos direitos dos cidadãos e a da fronteira na Irlanda do Norte, além da fatura da saída.

A UE espera concluir as negociações no outono de 2018 para que todas as partes possam assinar e ratificar o acordo antes da data limite de 29 de março de 2019.

Comentários ({{ total }})

Londres: 40 mil milhões para sair da UE são “especulação”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião