Quem está a investigar a Yupido? PGR, PJ, Ordem e CMVM

  • ECO
  • 11 Setembro 2017

São já quatro as entidades que estão a analisar a situação da Yupido, a empresa sem vendas nem funcionários que tem um capital social de cerca de 29 mil milhões de euros. Fisco não revela posição.

Depois de a Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, a Polícia Judiciária e o Ministério Público terem afirmado que estariam a analisar a Yupido e o seu capital social de quase 29 mil milhões de euros, agora foi a vez de a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) ter garantido que está a “promover as diligências adequadas” em relação a esta empresa.

A entidade reguladora liderada por Gabriela Figueiredo Dias expressou ao Jornal de Negócios a sua responsabilidade neste assunto, visto que o revisor oficial de contas que validou o aumento de capital da empresa, António Alves da Silva, está “registado na CMVM” e “é acompanhado pela CMVM no âmbito das suas atribuições e competências”.

As “diligências” em causa não são avançadas, com a autoridade a referir que “a CMVM apenas poderá emitir uma opinião devidamente fundamentada após a conclusão das diligências e ações supra referidas”.

Ainda que estas entidades estejam a acompanhar o caso, o Ministério das Finanças, que tutela a Autoridade Tributária, invocou “sigilo fiscal” para não informar se está ou não a investigar o aumento de capital da Yupido. “O Ministério das Finanças não se pode pronunciar sobre a situação contributiva de pessoas individuais ou coletivas em concreto por uma questão de sigilo fiscal”, disse ao ECO fonte do gabinete.

Yupido disponível para esclarecer tudo à PJ

Ao ECO, Francisco Mendes, porta-voz da Yupido, garantiu que a sociedade “não é uma empresa fantasma”, sendo que a plataforma está “praticamente a funcionar”. O porta-voz afirmou também que a empresa quer registar 42 patentes e que, se necessário, está disponível para falar com a Polícia Judiciária.

“Já comunicámos à PJ, enviámos um email e vamos enviar também uma carta registada, a disponibilizarmo-nos para esclarecer qualquer assunto que a PJ possa ter. Para nós, também é fundamental esclarecer que não temos rigorosamente nada com que nos preocupar, porque foi tudo feito dentro da regularidade e não cometemos nenhum crime”, apontou Francisco Mendes.

Os holofotes incidiram na Yupido na semana passada, quando o ECO revelou existir uma empresa com capital social que vale duas vezes a Galp ou nove vezes o BCP em valor de mercado. Essa empresa é a Yupido, que, como a investigação do ECO veio a revelar, realizou um aumento de capital em 2016, passando de um capital social de cerca de 240 milhões de euros (montante que a Yupido terá em cash num depósito à ordem) para 28,8 mil milhões — o resultado da incorporação de um “ativo intangível” que se veio a descobrir tratar-se de uma nova tecnologia para o setor dos media.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quem está a investigar a Yupido? PGR, PJ, Ordem e CMVM

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião