Sem roaming, turistas europeus duplicam uso dos dados móveis

Os cidadãos da União Europeia que viajaram após 15 de junho - dia em que o roaming acabou - duplicaram o uso dos dados móveis face aos meses anteriores.

O primeiro verão sem roaming na União Europeia registou uma maior utilização dos dados móveis pelos turistas europeus. A percentagem de viajantes que utilizou esses serviços de forma frequente, tal como fazem no país de origem, duplicou após 15 de junho (31%). No período anterior essa percentagem era de 15%, revelou esta terça-feira um inquérito do Eurobarómetro.

Os primeiros resultados da abolição do roaming foram celebrados pela Comissão Europeia. “Os clientes estão contentes, o consumo está a aumentar e a procura de serviços móveis em viagem na UE é muito elevado”, sintetizou a comissária europeia Mariya Gabriel. Em comunicado, o vice-presidente responsável pelo Mercado Único digital, Andrus Ansip, garante até que “os operadores móveis estão a investir em redes para fazer face ao aumento da procura“.

O inquérito revela ainda que a percentagem de viajantes que nunca utilizou dados móveis no estrangeiro desceu para metade (21 %) a partir de 15 de junho, em comparação com os meses anteriores a essa data (42 %). Mais de dois terços dos europeus tem conhecimento da extinção das tarifas de itinerância — o conhecimento das novas normas aumentou para 86% após 15 de junho.

A Comissão Europeia refere que vários operadores assistiram a um aumento do tráfego de dados, o que reflete uma mudança de comportamentos nos consumidores europeus que viajaram. “Vários operadores comunicaram um aumento importante no tráfego de dados devido aos viajantes, multiplicado várias vezes durante este verão, em comparação com o verão de 2016 (de cerca de três a seis vezes e, em alguns casos, ainda mais)”, lê-se no comunicado da Comissão

O inquérito do Eurobarómetro foi realizado no final de agosto, cerca de dois meses e meio após a aplicação das novas regras.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sem roaming, turistas europeus duplicam uso dos dados móveis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião