Trump propõe reforma fiscal que baixa IRC de 35% para 20%

  • Lusa
  • 27 Setembro 2017

A proposta também prevê o fim do imposto de sucessão, a redução para três escalões no IRS, o aumento das deduções fiscais para as famílias com filhos e uma nova dedução para os adultos dependentes.

A proposta de reforma fiscal apresentada esta quarta-feira pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, inclui uma descida do IRC para 20%, o fim do imposto de sucessão e a redução para três escalões no IRS.

O programa hoje apresentado tem como título ‘Plano unificado para corrigir o nosso falido código fiscal’, e foi apresentado como a maior reforma fiscal desde 1980.

Além da redução do imposto pago pelas empresas, de 35% para 20%, a nova proposta reduz de sete para três os escalões da tributação sobre o rendimento individual, para 12, 25 e 35%, mas ainda assim acima dos 15% prometidos às empresas por Trump durante a campanha eleitoral.

“O objetivo é voltar a tornar os Estados Unidos competitivos a nível global, e oferecer um alívio discal à classe média e aos empresários”, explicou um funcionário governamental citado pela agência de notícias espanhola Efe, que deu conta da disponibilidade do Presidente para aceitar acertos ao plano.

Além das mexidas nos escalões do IRS e nas taxas do IRC, Donald Trump propõe ainda aumentar as deduções fiscais para as famílias com filhos e criar uma nova dedução para os adultos dependentes, como pessoas idosas ou doentes.

A reforma fiscal apresentada hoje pelo Presidente é a grande iniciativa de Trump antes do final do mandato, e segue-se ao fracasso da substituição da lei sobre cuidados de saúde conhecida como ‘Obamacare’, que os republicanos têm sido incapazes de levar por diante, apesar de terem a maioria no Congresso e no Senado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump propõe reforma fiscal que baixa IRC de 35% para 20%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião