Conduzir um Porsche diferente todos os meses? Esta é a app

  • ECO
  • 11 Outubro 2017

Marca de luxo acaba de lançar novo modelo de subscrição para conquistar os condutores mais jovens. Por dois ou três mil dólares por mês, o cliente pode escolher que carro ou carros quer experimentar.

Mudam-se os tempos… mantêm-se as vontades. Conduzir um Porsche continua a ser um sonho de muitos, embora a tendência trazida por gigantes de Silicon Valley como a Uber tenha transformado os parâmetros de satisfação desse desejo: a posse foi substituída pela experiência. Para aproveitar esta maré e conquistar os millennials, a Porsche acaba de criar um novo sistema por subscrição.

No próximo mês, esta marca automóvel de luxo lançará, assim, uma app — a Porsche Passport — na qual, por dois mil dólares por mês (1.700 euros), os admiradores destes carros poderão “requisitar” um 718 Boxster, um Cayman S, um Macan S ou um Cayenne. Por mais mil dólares, o leque de possibilidades engorda. Subscritores que paguem três mil dólares (2.555 euros) têm à sua disposição 22 modelos diferentes da fabricante. Para qualquer um dos níveis, o número de “requisições” mensais é ilimitado.

“Nós agora temos millennials que são incrivelmente bem-sucedidos e que têm poder financeiro para comprar um Porsche, mas que não estão dispostos a fazê-lo”, explica Klaus Zellmer, presidente da unidade da América do Norte da Volkswagen. “Estamos certos que este sistema estimulará as vendas, especialmente a médio e a longo prazo”, acrescenta, na Bloomberg.

O registo, seguro e manutenção dos carros têm custo zero para os condutores, que pagam apenas o combustível do automóvel. Por agora, a Porsche Passport só estará disponível para 50 pessoas, em Atlanta, nos Estados Unidos. A Porsche consagra-se a mais recente, mas não a primeira, fabricante a apostar num tipo de propriedade mais flexível.

Comentários ({{ total }})

Conduzir um Porsche diferente todos os meses? Esta é a app

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião