Bolsas recuperam. Madrid em tensão com a Catalunha

  • Ana Batalha Oliveira
  • 20 Outubro 2017

Os principais índices bolsistas europeus abriram no vermelho, mas estão já a valorizar. A exceção é a bolsa espanhola que continua a sentir os receios dos investidores em torno da Catalunha.

Depois das quedas acentuadas perante o agudizar da tensão com a Catalunha, as bolsas europeias estão de volta aos ganhos. Apesar das quedas no arranque desta última sessão da semana, estão já a valorizar. Lisboa segue a tendência positiva das pares, mas Madrid continua a perder valor.

O PSI-20 abriu a sessão de sexta-feira com uma quebra de 0,08% para os 5,455.73 pontos, mas está já a ganhar 0,2%. O Stoxx 600, o índice que agrega as maiores empresas europeias, também esteve a perder, mas avança 0,23%, dando o mote aos restantes mercados. O IBEX-35, da vizinha Espanha cai, chegando a perder 0,16%, pressionado pela situação na Catalunha.

Por cá, as energéticas começaram por pressionar mas rapidamente recuperaram, apresentando ligeiras subidas. A Galp Energia abriu com uma quebra de 0,13% para os 15,705 euros e a EDP está inalterada, a cotar nos 3,02 euros. Isto num dia em que o barril de Brent, referência para a Europa nos preços do petróleo, se encontra a valorizar 0,51% para os 57,53 dólares.

A Jerónimo Martins e o BCP, dois dos pesos pesados do PSI-20, ajudam a bolsa nacional a recuperar da queda registada na última sessão. O retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos sobe 0,19% para os 15,70 euros e o banco liderado por Nuno Amado sobe exatamente na mesma medida para os 25,74 cêntimos.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bolsas recuperam. Madrid em tensão com a Catalunha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião