Governo cria novo tipo de certificados de Tesouro

  • Margarida Peixoto
  • 26 Outubro 2017

O Conselho de Ministros aprovou um novo instrumento de poupança em dívida pública, os Certificados do Tesouro Poupança Crescimento. Mas decidiu suspender os Poupança Mais.

O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira um novo tipo de certificados do Tesouro para estimular a poupança dos cidadãos em instrumentos de dívida pública e decidiu suspender as novas subscrições de Certificados do Tesouro Poupança Mais.

O novo produto de poupança chama-se “Certificados do Tesouro Poupança Crescimento” e o Governo adianta que a sua remuneração está “alinhada com as atuais taxas de juro praticadas no mercado”.

“Este novo produto visa estimular a poupança de médio prazo e dinamizar o acesso dos cidadãos a instrumentos de dívida pública,” lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.

O Executivo promete manter a “atratividade que tem caracterizado estes produtos” e aponta para a complementaridade entre estes novos Certificados do Tesouro e os Certificados de Aforro.

Na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Conselho de Ministros, o secretário de Estado da Presidência, Tiago Antunes, não adiantou mais detalhes sobre o novo instrumento de poupança, e remeteu mais explicações para um comunicado que deverá ser enviado às redações pelo Ministério das Finanças.

Tal como o ECO já tinha avançado, os certificados do Tesouro deverão ficar com a taxa de remuneração cortada. Os novos certificados Poupança Crescimento deverão ter um juro mais baixo no primeiro ano, quando comparados com os anteriores Poupança Mais. Contudo, logo a partir do segundo ano deverão começar a pagar o bónus relativo ao desempenho da economia, enquanto os Poupança Mais só pagavam bónus a partir do quarto e quinto anos de aplicação.

(Notícia atualizada às 14h53)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Governo cria novo tipo de certificados de Tesouro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião