Melhor altura para reservar o hotel é… um mês antes do voo

  • Bloomberg
  • 29 Outubro 2017

A aplicação Hopper já ajudava a definir o momento ideal para reservar um bilhete de avião. Agora também vai ajudar a decidir quando deve reservar um hotel.

Hopper, a aplicação que ajuda a definir o momento ideal para reservar um bilhete de avião, está a começar a focar-se numa área que vai ajudar os viajantes a pouparem ainda mais: os hotéis.

A empresa está agora a apostar numa nova característica, lançada esta semana, que permite monitorizar os preços dos hotéis e prever se as os valores por noite vão subir ou cair — vai começar, numa primeira fase, a ser utilizado na cidade de Nova Iorque, prevendo iniciar a expansão ao resto dos EUA no início de 2018. De acordo com os dados, a aplicação mostra o potencial de os utilizadores pouparem, em média, 270 dólares numa viagem de uma semana ou até 720 dólares em oito noites.

“Isto significa que poderá usar a tecnologia da Hopper para poupar muito mais quando se trata de hotéis”, afirma Frédéric Lalonde, fundador e CEO da empresa, à Bloomberg. Em comparação com as passagens aéreas, a aplicação permite uma poupança média de 50 dólares nos voos domésticos e de 120 dólares em voos internacionais.

Assim como as projeções das passagens aéreas, as previsões para as tarifas de hotel da Hopper resultarão da análise aprofundada dos dados: a empresa detém atualmente 100 milhões de dados apenas para Nova Iorque, cobrindo os preços de 600 hotéis e abrangendo um período de 12 meses. Desde a sua fundação, em 2007, a empresa acumulou biliões de dados para as suas pesquisas sobre passagens aéreas, com cobertura mundial. E, mensalmente, adiciona 300 mil milhões de novos dados.

Na aplicação da Hopper, tudo isto é resumido em recomendações simples e fáceis de entender. Primeiro, um calendário codificado por cores mostra aos viajantes se devem esperar preços mais altos ou mais baixos do que os normais nas datas escolhidas. Depois, oferece um conjunto limitado de hotéis — selecionados pela equipa da Hopper para refletir as melhores opções em cada categoria de estrelas — e aconselha se é melhor esperar ou reservar imediatamente.

Atualmente, a app tem uma lista de 25 hotéis em toda a cidade de Nova Iorque e cerca de um terço desta oferta é composta por hotéis boutique e hotéis de cinco estrelas.

Regra de ouro: reservar o hotel com antecedência

Frédéric Lalonde, fundador e CEO da empresa, defende que os hotéis devem ser reservados com antecedência, contrariando o mito de que as reservas devem ser feitas à terça-feira.“Dois ou três meses antes é o melhor momento para reservar um hotel”, explicou, especificando que em época alta — como é o caso do Ano Novo em Nova Iorque — pode ser necessário reservar com um ano de antecedência ou mais. Em compensação, é melhor reservar voos de lazer (para destinos não comerciais, como o Havai) com apenas um mês de antecedência.

“Estamos a descobrir que só deve começar a estar atento às passagens aéreas depois de reservar o hotel”, acrescentou. Mas porquê? As companhias aéreas aumentam os preços aproximadamente duas semanas antes da partida, na expectativa de preencher os lugares remanescentes com viajantes de negócios que não têm flexibilidade. Os hotéis, por sua vez, tendem a preencher os quartos com mais antecedência.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Melhor altura para reservar o hotel é… um mês antes do voo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião