Venezuela reúne com credores na segunda para reestruturação da dívida

  • Lusa
  • 12 Novembro 2017

Governo venezuelano confirma que vai reunir com detentores de dívida do Estado e da empresa estatal Petróleos da Venezuela esta segunda-feira para discutir uma reestruturação da mesma.

A Venezuela confirmou que decorrerá na segunda-feira uma reunião com os detentores de títulos da dívida do Estado e da empresa estatal Petróleos da Venezuela SA (PDVSA), com o propósito de reestruturar e refinanciar a mesma.

A reunião foi confirmada pelo ministro venezuelano de Economia e Finanças, Simón Zerpa, que também é vice-presidente de finanças da petrolífera venezuelana.

“Seguindo instruções do Presidente Nicolás Maduro, informa-se que a reunião da Comissão Presidencial para renegociar os termos da dívida externa da República e da PDVSA, com os portadores (dos títulos) da dívida, se realizará na segunda-feira, 13 de novembro, no Palácio Branco, frente ao palácio presidencial de Miraflores pelas 14:00 horas (16:00 horas em Lisboa)”, escreveu o ministro na sua conta do Twitter.

Segundo Simón Zerpa, o Governo venezuelano está a convidar, “uma vez mais, os investidores a registarem-se para participar nesta reunião, enviando uma mensagem eletrónica para renegociacionsoberana@mppef.gob.ve”.

Por outro lado, o portal ‘online’ venezuelano La Patilla avança que o Governo venezuelano terá prometido aos portadores dos títulos que os funcionários que foram sancionados pelo Departamento do Tesouro dos EUA não vão estar presentes na reunião.

Segundo o parlamento venezuelano, o Estado deve mais de 120 mil milhões de dólares (103,44 mil milhões de euros) a financiadores internacionais, metade deles em títulos de dívida.

Em 03 de novembro último, a Venezuela convocou os portadores de títulos de dívida do Estado para uma reunião, que terá lugar em 13 de novembro, com o objetivo de renegociar o pagamento da dívida.

A convocatória foi feita pelo vice-presidente da Venezuela, Tarek El Aissami, que também é presidente da comissão especial para o refinanciamento da dívida externa venezuelana.

A 2 de novembro, o Presidente Nicolás Maduro anunciou uma reestruturação e refinanciamento total da dívida externa do país e dos títulos da PDVSA.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Venezuela reúne com credores na segunda para reestruturação da dívida

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião