Sonae, Accenture ou Continental: há 500 empregos aqui

Mais de 70 entidades participam na "Start Point- Feira de Emprego e Empreendedorismo", que tem lugar entre quarta e quinta feira, na Universidade do Minho. No total são 500 empregos e estágios.

Cerca de 70 entidades, entre as quais constam nomes como a Sonae, Jerónimo Martins, Bosch, Accenture e Continental Mabor vão disponibilizar um total de 500 empregos e estágios a jovens estudantes. A iniciativa denominada “Start Point – Feira de Emprego e Empreendedorismo”, decorre esta quarta e quinta-feira, dias 15 e 16 de novembro, na Universidade do Minho, em Braga e conta com o apoio do Programa Operacional Regional do Norte, pelo Portugal 2020 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

A organização está a cargo da Associação Académia (AAUM), através dos gabinetes do Empreendedor e de Inserção Profissional.

Esta é a oitava edição da iniciativa e vai apresentar um formato diferente dos anteriores. Para Bruno Alcaide, presidente da AAUM, “foi implementado pela primeira vez um dia de preparação que permite aos participantes usufruírem, na terça-feira, de múltiplas ações relacionadas, com empregabilidade e empreendedorismo, de forma a estarem mais bem preparados para contactarem com as entidades presentes”.

A “Start Point” tem como principal objetivo facilitar o contacto entre jovens e adultos com o mercado de trabalho, através de oportunidades profissionais, do desenvolvimento de competências e do networking dos participantes.

Do programa fazem parte mais de duas dezenas de formações, workshops e talks. Estão ainda previstos espaços de aceleração de startups e sessões sobre o processo de constituição de empresas, alguns sistemas de apoio a ideias de negócio, o futuro do trabalho e a bolsa de emprego da Universidade do Minho, que será apresentada na quinta-feira pelas 17 horas.

O público-alvo da “Start Point” são (ex-) estudantes, investigadores e professores, assim como recém-licenciados e empreendedores.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sonae, Accenture ou Continental: há 500 empregos aqui

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião