IGCP queria 500 milhões em obrigações para o retalho. Oferta aumentou para 1.300 milhões

Como tem sido habitual nas emissões de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável, também nesta o valor da oferta foi revisto em alta. Mais do que duplicou o montante da emissão.

O IGCP decidiu aumentar o montante a emitir em Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável. Tal como tem acontecido em todas as outras operações de financiamento junto do retalho com este instrumento, o valor a emitir mais do que duplicou, passando de 500 para 1.300 milhões de euros.

“Informa-se que o Conselho de Administração do IGCP, E.P.E. decidiu aumentar o valor nominal global da emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável denominada ‘OTRV Dezembro 2022’ para 1.300.000.000,00 euros (mil e trezentos milhões de euros)”, refere a agência liderada por Cristina Casalinho em comunicado. O prazo de subscrição termina a 28 de novembro.

O IGCP esperava levantar 500 milhões de euros, mas reservava-se ao direito de aumentar o montante até ao dia 21 de novembro, caso a operação manifeste forte interesse dos investidores. E foi isso mesmo que aconteceu, apesar de a taxa oferecida nesta emissão ser a mais baixa de todas as outras já realizadas.

A taxa de 1,1% é a mais baixa de sempre e e explica-se com o facto de Portugal conseguir financiar-se no mercado a juros bastante reduzidos. Por exemplo, compara com o juro de 1,6% que o IGCP pagou na última emissão realizada em julho deste ano.

De resto, desde o início que as OTRV foram registando remunerações cada vez menos atrativas: a primeira emissão, realizada em maio de 2016, ofereceu um prémio de 2,2%. As seguintes, efetuadas em agosto de 2016, novembro de 2016 e abril de 2017, viram as taxas cortadas gradualmente para 2,05%, 2% e 1,9%.

Tendo em conta o juro baixo, os investidores devem fazer contas antes de investirem as suas poupanças. As OTRV são comercializadas ao balcão dos bancos que se fazem cobrar de comissões, encargos esses que podem fazer com que perca dinheiro. Com uma aplicação mínima 1.000 euros muito provavelmente vai ter prejuízo. Mesmo com 7.000 euros não é garantido que o investimento vá render.

(Notícia atualizada às 19h36 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

IGCP queria 500 milhões em obrigações para o retalho. Oferta aumentou para 1.300 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião