Sebastião Póvoas será o novo presidente da ERC

  • ECO
  • 29 Novembro 2017

O atual vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça, de 69 anos, deverá ser cooptado pelo Conselho Regulador da ERC para assumir o cargo de presidente desta entidade reguladora.

Depois de terem sido aprovados, no Parlamento, os quatro nomes para o novo mandato do Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), também já terão sido escolhidos os futuros presidente e vice-presidente desta entidade reguladora. Segundo avança o Público, Sebastião Póvoas, atualmente vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça, será o presidente da ERC. Já o jornalista e professor Mário Mesquita, um dos quatro nomes eleitos pelos deputados, deverá ser o vice-presidente.

Sebastião Póvoas, de 69 anos, é juiz conselheiro, presidente da 1ª Secção do Supremo Tribunal de Justiça e vice-presidente deste tribunal desde outubro de 2013. Já Mário Mesquita, atualmente professor de jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, foi diretor-adjunto do Diário de Notícias, entre 1978 e 1986, tendo sido também um dos fundadores do PS que, em 2014, apoiou a candidatura de António Costa à presidência do partido.

O nome do presidente da ERC é cooptado pelos quatro membros que foram eleitos no Parlamento. Essa eleição ficou concluída na terça-feira, depois de um impasse que durava há um ano. Para além de Mário Mesquita, vão integrar o Conselho Regulador da ERC João Pedro Figueiredo, nome proposto pelo PS, Francisco Azevedo e Silva e Fátima Resende Lima, estes dois últimos propostos pelo PSD.

O impasse dos nomes para a ERC começou em novembro do ano passado, altura em que terminou o mandato da atual direção. Logo em dezembro, a ERC ficou com uma cadeira vazia no órgão deliberativo. Em março, surgiu outra renúncia e, desde então, a ERC tem funcionado apenas com Carlos Magnos na presidência, Alberto Arons de Carvalho na vice-presidência e Luísa Roseira como vogal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sebastião Póvoas será o novo presidente da ERC

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião