Ministra letã candidata a presidente do Eurogrupo, Centeno apontado como favorito

  • Lusa
  • 30 Novembro 2017

A ministra letã já se candidatou à presidência do Eurogrupo, os ministros da Eslováquia e do Luxemburgo permanecem uma incógnita. Centeno é o favorito.

A ministra letã das Finanças, Dana Reizniece-Ozola, formalizou a candidatura a presidente do Eurogrupo, numa altura em que a imprensa internacional aponta o ministro Mário Centeno como o mais forte candidato ao cargo.

A menos de uma hora do prazo final para a entrega de candidaturas, o Governo português ainda não anunciou a candidatura de Centeno, mas vários órgãos de comunicação social internacionais avançam que o ministro português ganhou a “corrida” entre os “candidatos a candidatos” dos Socialistas Europeus, a família política com mais possibilidades de garantir (neste caso, manter) o posto até agora ocupado pelo holandês Jeroen Dijsselbloem.

Segundo o Financial Times, à margem da cimeira UE-África que decorre em Abidjan, a chanceler Angela Merkel e o Presidente francês, Emmanuel Macron, reuniram-se, na quarta-feira, com os primeiros-ministros de Portugal, António Costa, e de Itália, Paolo Gentiloni, para decidir quem deveria avançar entre Centeno e o ministro italiano Pier Carlo Padoan, tendo a escolha recaído no ministro português.

A imprensa italiana adiantou, esta quinta-feira, que o Governo de Itália irá, efetivamente, apoiar Centeno, isto depois de, no último Eurogrupo, também o ministro espanhol Luis de Guindos ter anunciado o seu apoio ao ministro socialista português caso este avançasse, apesar das diferenças partidárias (o Governo espanhol pertence ao Partido Popular Europeu, PPE).

Quem já decidiu avançar, depois de já ter assumido publicamente “interesse” no cargo, foi a ministra letã Reizniece-Ozola, de 36 anos, que pertence à família política dos Verdes (embora fazendo parte de um Governo que integra o PPE), segundo várias fontes governamentais da Letónia.

Permanece também a incógnita em torno do ministro eslovaco Peter Kazimir, que há muito admite interesse em ocupar a presidência do fórum de ministros das Finanças da zona euro, mas que reunirá poucos apoios dentro da família socialista, à qual pertence. O ministro luxemburguês Pierre Gramegna, que pertence à família políticas dos Liberais, também poderá avançar, tendo contra si o facto de a presidência da Comissão Europeia já ser ocupada por um seu compatriota, Jean-Claude Juncker.

O prazo para apresentação de candidatos ao cargo de presidente do Eurogrupo termina hoje, às 11:00 de Lisboa, estando a eleição agendada para a reunião do Eurogrupo da próxima segunda-feira, em Bruxelas.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Ministra letã candidata a presidente do Eurogrupo, Centeno apontado como favorito

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião