Conselho da Diáspora reúne gestores em Portugal

Conversas Improváveis com gestores portugueses que trabalham fora do país. É no próximo dia 19, na Católica. No dia seguinte, realiza-se o 5º encontro do Conselho da Diáspora, em Cascais.

No próximo dia 19 de dezembro, a Católica Business School vai receber um conjunto de notáveis portugueses espalhados pelo mundo para umas Conversas Improváveis, um encontro promovido pelo Conselho da Diáspora Portuguesa. O objetivo é promover a partilha de experiências dos percursos internacionais dos oradores junto de estudantes universitários e jovens empreendedores. E logo no dia seguinte, em Cascais, realiza-se o 5º encontro anual.

Na Católica, em Lisboa, a tarde vai ser passada com duplas improváveis para Conversas (ainda mais) Improváveis: 11 oradores vão partilhar as suas experiências internacionais com estudantes universitários e jovens executivos e empreendedores. Os objetivos passam por “apoiar os jovens na entrada, adaptação e evolução no mercado de trabalho em áreas específicas de conhecimento e negócios” e possibilitar o “estabelecimento de contactos futuros”.

No evento, que arranca às 14h30, vão debater-se quatro temas fortes:

  1. Somos os novos nómadas?
  2. Digital e Criatividade, podem coexistir?
  3. Nascer em Portugal, abraçar o mundo
  4. Ciência: Promessa de um mundo melhor
  5. As novas profissões: Mitos e realidades

Vão estar presentes nomes como os de João Noronha Lopes, responsável pela estratégia de franchising na Suíça para os cerca de 36 mil restaurantes McDonald’s no mundo, Joana Vicente, especialista na indústria cinematográfica de Nova Iorque, ou John Melo, CEO da Amyris Biotechonologies, uma empresa líder mundial em aplicações de biotecnologia.

No dia seguinte, o Conselho da Diáspora, presidido por Filipe de Botton, realiza o 5º encontro anual, no Palácio da Cidadela, em Cascais, e, como nas edições anteriores, juntará residentes fora e dentro de Portugal. E com um programa cheio, com dois grandes temas, e com oradores como António Simões, Director Executivo do HSBC Bank, subsidiária principal do Grupo no Reino Unido e na Europa Continental, e Pedro Abreu, Chief Strategy Officer na ForeScout Technologies. O encerramento será feito pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  1. Liderança e diversidade: Quotas são a solução?
  2. Cibersegurança: Onde estamos?

Inaugurada no final de 2012, a primeira edição do Conselho da Diáspora surgiu numa altura em que a crise atravessada pelo país preocupava políticos e empresários e, por isso mesmo, o foco desse primeiro encontro começou por ser a base desta organização: economia e finanças. Os conselheiros uniram, então, esforços para tentar encontrar soluções e alternativas ao crescimento das empresas portuguesas. No entanto, o contexto económico mudou e Portugal conseguiu sair do programa de ajustamento, tornando possível a discussão de mais três pilares: artes, ciências e cidadania. Este ano de 2017, acrescentam a diversidade e a cibersegurança.

O Conselho da Diáspora Portuguesa é uma associação privada sem fins lucrativos, cuja missão é o reforço da imagem e reputação internacional de Portugal, sendo o principal instrumento de intervenção a World Portuguese Network, uma rede de contactos, de relevante influência que mantém no exterior a maioria da sua actividade profissional e cívica. A rede é hoje composta por 94 Conselheiros de Portugal no Mundo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Conselho da Diáspora reúne gestores em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião