QSP Summit quer apoio do Estado…como o Web Summit

O QSP Summit quer crescer pela internacionalização. Rui Ribeiro, fundador da maior conferência de marketing, diz que para isso precisa de apoio do Estado: financeiro e logístico.

A QSP Summit, conferência de marketing e gestão, que a 22 de março de 2018 completará a sua 12º edição, quer crescer pela internacionalização. Para isso, a organização daquele que é considerado o maior evento de marketing em Portugal quer um maior envolvimento do Estado com o QSP Summit, a exemplo do que acontece com o Web Summit.

Rui Ribeiro, fundador e CEO, adiantou ao ECO que a QSP Summit “quer ser a melhor conferência de marketing e gestão na Europa, mas para isso precisamos do apoio do Estado, não só a nível de financiamento, mas também a nível de apoio logístico”.

“Temos competências para sermos a melhor conferência da Europa em marketing e liderança mas para isso é preciso investir. Estamos a sensibilizar o Estado, queremos que o Estado se vire para os eventos que temos aqui”, afirma o fundador do QSP Summit.

Rui Ribeiro diz que “uma conferência deste género, onde vêm os melhores oradores da área, acaba por ser muito dispendiosa, mas é também uma montra de Portugal e do Porto, no caso concreto”. Hoje, adianta Rui Ribeiro, “a maior parte dos nossos oradores, que vêm de sítios tão distantes como os Estados Unidos ou a Austrália, quando lhes dizemos que a conferência é no Porto até nos respondem ‘que bom, queria mesmo conhecer a cidade'”.

A ideia de internacionalizar o evento não passa por retirá-lo do Porto, antes pelo contrário. “Queremos a partir do Porto realizar a melhor conferência da Europa, e o poder de atração do Porto neste momento é inegável”. Rui Ribeiro socorre-se dos números para demonstrar a dinâmica da conferência que fundou: “Quando começámos tínhamos 300 pessoas a assistir ao evento, o ano passado atingimos as 1.500 e este ano contamos receber 1.700 quadros de topo das maiores empresas nacionais”.

A QSP Summit, que se financia para já com os apoios/patrocínios e com as vendas dos passes para entrada, assegurou com a Associação Empresarial de Portugal a permanência do evento na Exponor para os próximos cinco anos.

Daniel Goleman ocupa palco principal

A edição de 2018 intitulada “The Challenge” irá abordar as questões como a inteligência artificial, inteligência emocional, inovação, transformação digital, disruptive marketing, estratégia digital, mobile marketing, content marketing, turismo, marketing pessoal, comunicação de liderança, relações públicas entre outros.

Rui Ribeiro diz que numa altura em que “existe excesso de informação e de mensagens, vamos perceber como é que neste contexto se pode ser melhor líder”. Para isso, explica Rui Ribeiro, “vamos contar com 25 excelentes oradores”.

Entre os oradores, Daniel Goleman, que vai ocupar o palco principal e é figura de destaque. O psicólogo norte-americano e autor dos livros Emotional Intelligence e Focus tem transformado a forma como o mundo educa as crianças, se relaciona com a família e amigos e como gere os negócios. Goleman foi mesmo considerado pelo Wall Street Journal como um dos 10 mais influentes pensadores empresariais.

Também com grande impacto é esperada a intervenção de Steve Knight, um especialista conceituado em comunicação empresarial, com mais de 30 anos de experiência e um sólido histórico em jornalismo televisivo e apresentação de programas na BBC TV e Discovery Channel. Knight é ainda professor no INSEAD Business School.

Outro dos nomes mais aguardados é Rob Goffee, professor emérito de comportamento organizacional na London Business School. Goffee liderou importantes iniciativas de desenvolvimento executivo e mudanças corporativas na Europa, América do Norte e Ásia. O seu trabalho cobre uma série de indústrias com foco em liderança, mudança, dinâmica de quadros e desempenho corporativo. Da sua carteira de clientes fazem parte nomes como a Heineken, AXA, KPMG, Unilever, Singapore Airlines, entre outras.

Bonin Bough é outro dos nomes esperados na Exponor. Bonin Bough é um dos executivos de marketing mais premiados do setor, é produtor e apresentador do The Cleveland Hustles e autor do TXT Me. Bough liderou algumas das maiores campanhas de marketing global da indústria em marcas como a Oreo e a Pepsi, por exemplo.

Entre os oradores portugueses consta Ângelo Paupério, co-CEO da Sonae, Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, entre tantos outros.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

QSP Summit quer apoio do Estado…como o Web Summit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião