Siemens aposta nos serviços cloud da Amazon

  • ECO
  • 15 Dezembro 2017

A parceria entre as empresas permitirá o desenvolvimento de uma nova versão de um software que permite ligar equipamentos industriais à "Internet das Coisas".

A Siemens anunciou uma parceria com a Amazon para acelerar o desenvolvimento da próxima versão do Mindsphere, um software que permite ligar equipamentos industriais à “Internet das Coisas”. O objetivo passa por chegar aos 1,25 milhões de equipamentos conectados no final do ano fiscal da Siemens, no próximo mês de setembro, avança a empresa num comunicado emitido esta sexta-feira.

O software Mindsphere foi lançado há cerca de um ano e já faz parte de aproximadamente um milhão de equipamentos. A plataforma, segundo explica a Reuters, permite que sejam recolhidas informações dos equipamentos industriais e utiliza-as para otimizar os processos de produção. A Siemens pretende chegar aos 1,25 milhões de equipamentos ligados à Mindsphere em setembro do próximo ano.

O serviço vai passar a estar disponível nos Amazon Web Services, expandido o software para os serviços na cloud desenvolvidos pelo retalhista multinacional. “Esta parceria junta a Siemens, líder mundial no mercado de automação industrial, com as soluções de cloud nº1 no mundo“, pode ler-se no documento.

Ao longo do ano fiscal de 2018, a Siemens garante um aumento no investimento em Investigação e Desenvolvimento (I&D) em 450 milhões de euros, passando por um gasto anual de 5,2 mil milhões para mais de 5,6 mil milhões de euros. Para o novo ano fiscal, a empresa destinou cerca de 500 milhões de euros em I&D. Na mesma área, a Siemens afirma ter registado 40.000 empregados em todo o mundo, dos quais 13.700 trabalham na Alemanha, cerca de 6.500 nos Estados Unidos, aproximadamente 2.700 na China e à volta de 6.800 operam na Índia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Siemens aposta nos serviços cloud da Amazon

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião