“Incêndios” é a palavra do ano de 2017

  • ECO
  • 4 Janeiro 2018

Num ano marcado pelos fogos, "incêndios" foi escolhida como palavra do ano, com 37% dos votos, batendo palavras como "afeto", "floresta" ou "vencedor".

Num ano em que arderam quase 210 mil hectares, o pior registo da última década, a palavra “incêndios” foi escolhida como a palavra do ano de 2017, na iniciativa promovida pela Porto Editora. O anúncio foi feito, esta quinta-feira, na Biblioteca Municipal Ary dos Santos, em Loures.

“Os sucessivos incêndios em todo o país fizeram de 2017 um dos anos mais trágicos de sempre, pela enorme quantidade de vítimas e pela dimensão da área atingida”, pode ler-se no site da iniciativa Palavra do Ano.

A palavra “incêndios” reuniu 37% dos votos e bateu concorrentes como “afeto” (20% dos votos), “floresta” (14% dos votos) ou “vencedor” (8% dos votos). Este ano, 30 mil portugueses participaram na iniciativa, mais cinco mil do que em 2016 e mais 10 mil do que em 2015.

Em 2016, a palavra do ano tinha sido “geringonça”, expressão utilizada pela primeira vez por Vasco Pulido Valente para se referir à atual solução governativa. Em 2015, a palavra do ano era “refugiado”.

Notícia atualizada às 11h12 com mais informação.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Incêndios” é a palavra do ano de 2017

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião