Depois das autárquicas, 52 concelhos baixam IMI

  • ECO
  • 8 Janeiro 2018

Além da redução do imposto, a larga maioria dos concelhos concede ainda o benefício fiscal do IMI familiar. Em 2018, só nove autarquias optaram por subir a taxa.

Já eram a maioria as autarquias que cobravam o mínimo de IMI que a lei permite. Das poucas que fixavam os IMI acima dos 0,3%, 52 decidiram baixar o valor deste imposto, este ano, depois das autárquicas. Para além destas descidas, há 232 concelhos a aderirem ao IMI familiar, que beneficia os residentes com dependentes.

Foram 295 os municípios que comunicaram à Autoridade Tributária e Aduaneira a taxa de IMI que pretendem praticar em 2018, dentro do prazo definido. Destes, 234 não alteraram as taxas, e entre os restantes 61, só nove conselhos optaram por subir este imposto: 52, baixaram-no, avança o Diário de Notícias.

No caso de Celorico da Beira, os contribuintes que possuam um imóvel de 85 mil euros verão o imposto descer de 425 para 340 euros, devido a um decréscimo de 0,5% para 0,4% na taxa. Contudo, nem todas as descidas serão expressivas. Em Arruda dos Vinhos, por exemplo, o abatimento de 0,389% para 0,385% significa apenas um benefício de três euros para um imóvel do mesmo valor.

O IMI familiar é outra prova da generosidade dos autarcas em 2018. Este desconto para as famílias, que existe desde 2016, atingiu agora uma adesão recorde. São ao todo 232 que agora o concedem. Este benefício fiscal dá um desconto atualmente um desconto de 20, 40 ou 70 euros, consoante o número de filhos: um, dois e três ou mais.

 

Comentários ({{ total }})

Depois das autárquicas, 52 concelhos baixam IMI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião