João Lourenço, Presidente de Angola: Recusa no processo de Manuel Vicente é “ofensa” de Portugal

  • ECO e Lusa
  • 8 Janeiro 2018

Na conferência de imprensa que marca os primeiros 100 dias de João Lourenço no poder, o Presidente angolano mostra-se ofendido com a decisão de Portugal de não transferir o processo de Manuel Vicente.

Quando Angola pediu a transferência do processo de Manuel Vicente para o território africano, Portugal não concedeu, alegando não confiar na justiça Angolana. João Lourenço, na conferência de imprensa que marca os seus primeiros 100 dias no poder, aponta esta recusa como “uma ofensa”.

Portugal, lamentavelmente, não satisfez o pedido“, critica o Presidente angolano. “Não estamos a pedir o arquivamento ou absolvição” do processo, esclarece. Apesar de lamentar a situação, as boas relações podem ser retomadas com “apenas um gesto”: se Portugal recuar na decisão e remeter o processo para Angola.

Temos toda a paciência deste mundo. Vamos continuar à espera do desfecho deste caso“, afirma João Lourenço. As medidas a tomar no caso de o Governo português não alterar a sua posição são ainda uma incógnita: “Não posso revelar”, fechou o líder angolano.

Exoneração do Fundo Soberano Angolano “pode vir a acontecer”

João Lourenço admitiu ainda que a exoneração da administração do Fundo Soberano de Angola “pode vir a acontecer” em breve. Desta administração faz parte um dos filhos do ex-Presidente angolano, José Filomeno dos Santos.

O Fundo Soberano está neste momento sob escrutínio do Governo, através de uma empresa contratada. As conclusões ditarão as medidas a implementar. Em relação à administração, “não diria que vou exonerar, mas pode vir a acontecer”, admite João Lourenço. “Estou a analisar essas medidas propostas e é muito provável que nos próximos dias venham a ser implementadas”, avança.

O líder angolano nega contudo qualquer “crispação” com o ex-Presidente, José Eduardo dos Santos. O esclarecimento vem a propósito desta possível demissão se seguir à de Isabel dos Santos, também filha do ex-presidente, que João Lourenço exonerou do cargo de presidente da comissão executiva da Sonangol, a petrolífera Angolana.

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, disse que aguarda que José Eduardo dos Santos cumpra o compromisso anteriormente assumido, de deixar a liderança do partido em 2018. “Só a ele compete dizer se o fará, se vai cumprir com esse compromisso. Quando isso vai acontecer, só a ele compete dizer”, disse o Presidente da República.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

João Lourenço, Presidente de Angola: Recusa no processo de Manuel Vicente é “ofensa” de Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião