Abono de família ainda não é pago com aumento em janeiro mas haverá retroativos

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 12 Janeiro 2018

Prestação só será atualizada depois de publicada a portaria que define os aumentos. Mas o pagamento será feito com retroativos. Abono será reforçado em casos específicos.

O abono de família que será pago na próxima semana ainda não vai refletir a subida prometida para 2018. A atualização da prestação será feita, com retroativos, depois de publicada a portaria que estabelece os aumentos.

“O abono ainda não será pago com a atualização. Após publicação da Portaria, será pago com retroativos”, avançou fonte oficial do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social em resposta ao ECO.

A Segurança Social vai então aguardar pela portaria que define os aumentos, ao contrário do que aconteceu com as pensões, que, de acordo com fonte oficial, já foram pagas esta semana com a atualização prevista mesmo sem publicação em Diário da República.

Já em 2017 o abono atualizado começou a ser pago em março, com retroativos a janeiro. E só em abril, também com retroativos, foi reforçado o apoio no caso de crianças entre 12 e 36 meses, ao mesmo tempo que foi reposto o quarto escalão de rendimentos (que abrange apenas crianças até três anos).

Para 2018 está prometida a atualização do abono em função da inflação e um novo reforço da prestação para crianças entre 12 e 36 meses nos três primeiros escalões. A prestação tem vindo a aumentar mais significativamente nesta faixa etária — o objetivo do Governo é que, no decurso de 2019, as crianças entre um e três anos recebam tanto como as crianças até 12 meses. Portanto este grupo específico terá novo aumento no segundo semestre deste ano (tal como aconteceu em 2017). O abono referente ao quarto escalão de rendimentos também terá um aumento mais visível e voltará a subir na segunda metade do ano: neste grupo, a prestação não varia consoante a idade mas está limitada a crianças até três anos.

De acordo com dados do Ministério do Trabalho, estes são os valores expectáveis, que ainda podem ser majorados em casos concretos:

Há famílias que podem receber mais do que os valores indicados no quadro, já que o abono pode ser majorado no caso de agregados com dois ou mais filhos ou de famílias monoparentais.

De acordo com o calendário da Segurança Social, o pagamento das prestações familiares por transferência bancária ocorre a 16 de janeiro e a partir dessa data no caso de vale de correio.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Abono de família ainda não é pago com aumento em janeiro mas haverá retroativos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião