Microsoft Portugal dá boas-vindas à Google e deixa recado

  • ECO
  • 25 Janeiro 2018

Google vai instalar um dos seus centros em Oeiras, ainda este ano. Microsoft aproveita a ocasião para lembrar que já está instalada em Portugal há mais de duas década e meia e deixa recado.

Enquanto a Google faz as malas para vir abrir um novo hub tecnológico, em Oeiras — segundo adiantou o primeiro-ministro, esta quarta-feira, em Davos (ou um call center, de acordo com o guru das tecnologias, Mike Butcher) — a Microsoft aproveita para lembrar que já anda por terras lusitanas há 27 anos e manda um recado à multinacional liderada por Sundar Pichai: “Bem-vindos newcomers, se precisarem de dicas avisem”.

Num vídeo de dez segundos publicado na sua página do Facebook, a Microsoft declara o seu amor a Portugal e diz conhecer os melhores pontos de interesse do país.

A Microsoft abriu a sua subsidiária portuguesa em 1990. As operações nacionais concentram-se em várias áreas: Cloud, Soluções de Mobilidade, Produtividade e Segurança, Soluções de Negócio, Dispositivos e ainda o programa Ativar Portugal que foca os pilares da Inovação e Startups, Competências Digitais e Transformação Digital. Os segmentos que beneficiam destes serviços vão desde as grandes às médias empresas e passam ainda pelo setor público.

Dos últimos anos de atividade em Portugal, a multinacional destaca o investimento feito no Centro de Suporte Internacional — cerca de 33 milhões por ano, diz a empresa ao ECO. Este foi instalado há mais de 20 anos mas foi nos últimos quatro anos que cresceu 800% no número de colaboradores: passaram de 40 a 350. Lá, dedicam-se a fornecer suporte em engenharia de ponta para as tecnologias Microsoft. E chegam a vários cantos do mundo: Europa, Médio Oriente e África. Por isso, apesar de o inglês ser o idioma base, neste centro fala-se também espanhol, italiano, búlgaro, turco, alemão, russo, francês e claro, português.

Esta quarta-feira, na reunião do Fórum Económico Mundial, em Davos, na Suíça, António Costa afirmou que “Portugal vai em breve acolher um investimento da Google” e que “havia vários países a disputar este investimento”. Ao ECO, a Google confirmou a vinda para Portugal, e adiantou apenas que “vai abrir um novo centro de operações de fornecedores em Lisboa”. Em reação ao anúncio do primeiro-ministro, Paddy Cosgrave — fundador do Web Summit, a maior feira de tecnologia do mundo — revelou ainda que “existem rumores” de que há outras gigantes tecnológicas a caminho da capital.

(Notícia atualizada às 16h15)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Microsoft Portugal dá boas-vindas à Google e deixa recado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião