Humberto Pedrosa garante que grupo TAP saiu do vermelho

  • ECO
  • 4 Fevereiro 2018

O acionista da TAP garante que o grupo teve em 2017 resultados positivos. E diz que se HNA não tiver capacidade para investir, TAP tem que encontrar outro investidor.

O ano de 2017 marca um ponto de viragem no grupo TAP. A garantia é de Humberto Pedrosa, acionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway, detentor de 45% do capital da companhia aérea, que adianta que, mesmo com a operação de manutenção no Brasil a dar prejuízo, a empresa saiu do vermelho, o que quer dizer que vai apresentar lucros.

O empresário, que também é dono do grupo Barraqueiro, em entrevista ao Negócios e à Antena 1, sublinhou que a TAP faturou 3 mil milhões de euros, em 2017, enquanto que a dívida ficou abaixo dos 700 milhões de euros.

Já sobre a operação do Brasil, Humberto Pedrosa, que espera que os prejuízos sejam inferiores a 50 milhões, revelou que a solução passava pelo investimento que os acionistas chineses da HNA, que integram consórcio Atlântico Gateway, se preparavam para fazer na TAP, com a criação de uma parceria para a área da manutenção.

Humberto Pedrosa diz que ficou surpreendido com as notícias dando conta das dificuldades que atravessa a HNA, mas espera que a situação seja passageira. Caso contrário, garante, a TAP terá que encontrar outro investidor.

“Não estava a contar com a situação atual da HNA, mas espero que possa ser passageira. Se não for, temos pena, temos muita pena. Envolver a HNA, na empresa do Brasil, era envolver a Azul, e era a solução para o equilíbrio, vamos ter que encontrar outra solução com outro parceiro”, refere o acionista da TAP.

Para 2018, o empresário espera que a companhia continue a melhorar os resultados, mas admite que as greves têm um impacto negativo. Humberto Pedrosa revelou ainda que o acordo da empresa precisa de ser alterado. Pedrosa diz que o atual é demasiado rígido e está desatualizado, e considera que as alterações vão beneficiar a empresa e os trabalhadores.

A entrevista do acionista da TAP, acontece depois de ter sido oficializado o nome de Antonoaldo Neves como presidente da TAP. Tal como já o empresário já tinha garantido ao ECO, Pedrosa voltou a frisar que a escolha do novo presidente da empresa foi uma escolha de Fernando Pinto, o homem que durante 17 anos ocupou a presidência da TAP.

Sobre o grupo Barraqueiro, garantiu que terminou o ano de 2017, com mais de 300 milhões de passageiros, um número recorde.

A concessão do Metro do Porto, ganha pelo grupo Barraqueiro, foi também motivo de análise. Pedrosa afirmou que esta era uma bandeira importante no norte e que o grupo não queria perder. “Não vamos ganhar dinheiro, mas vamos conseguir garantir o nível de qualidade que o Metro tem”.

Ainda na conversa deixou um aviso ao Bloco de Esquerda, partido que reivindica resgatar a concessão da Fertagus para a CP em 2019. “Se a realidade em 2019, terminar a concessão, o Estado vai ter que indemnizar o concessionário“, afirmou.

O governo foi também objeto de análise por Humberto Pedrosa, com o empresário a garantir que o executivo trouxe estabilidade à economia.

“Este Governo conseguiu trazer estabilidade, tem contribuído para a evolução positiva da economia portuguesa e para um equilíbrio, que era necessário, entre empresas, sindicatos e todos os participantes da economia”, afirmou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Humberto Pedrosa garante que grupo TAP saiu do vermelho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião