Rui Rio escolhe novo líder parlamentar antes do Congresso do PSD

  • ECO
  • 10 Fevereiro 2018

O novo líder do PSD vai mudar o partido de uma ponta à outra: da banca parlamentar aos órgãos nacionais, passando pela secretaria-geral.

Rui Rio vai tomar uma decisão sobre a liderança da bancada parlamentar do PSD antes do Congresso do partido, que arranca no dia 16 de fevereiro. Segundo adianta este sábado o Diário de Notícias, o novo líder social-democrata vai, na verdade, mexer em todo o partido: da bancada parlamentar aos órgãos nacionais, passando pela secretaria-geral do PSD.

Para já, há três nomes que têm sido apontados para substituir Hugo Soares: Fernando Negrão, antigo ministro da Segurança Social do governo de Pedro Santana Lopes, que já disse estar preparado para assumir esse cargo; Luís Campos Ferreira, antigo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros; e Adão Silva, deputado e antigo secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde.

Outro cargo a ser renovado será o de secretário-geral, atualmente ocupado por José Matos Rosa. O DN aponta Emídio Guerreiro e Feliciano Barreiras Duarte, que acompanharam Rui Rio durante a campanha pela liderança do partido, como possíveis nomes para assumir este cargo.

Rui Rio deverá ainda escolher algumas figuras próximas de si para a vice-presidência do PSD. Na calha estão Manuel Castro Almeida, ex-presidente da Câmara de São João da Madeira e antigo deputado e secretário de Estado do Desenvolvimento Regional; David Justino, antigo ministro da Educação e presidente do Conselho Nacional de Educação; Salvador Malheiro, presidente da Câmara de Ovar e diretor de campanha de Rio; e Fernando Alexandre, economista responsável pelo programa económico da moção de estratégia global de Rio.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Rui Rio escolhe novo líder parlamentar antes do Congresso do PSD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião