EDP Renováveis tem novo projeto eólico nos Estados Unidos

  • Lusa
  • 26 Fevereiro 2018

EDP Renováveis acaba de fechar um contrato de 20 anos para a venda de 200 MW produzidos pelo projeto eólico Prairie Queen, no Kansas, Estados Unidos.

A EDP Renováveis (EDPR) fechou um contrato de venda de 200 megawatt (MW) relativo a um novo projeto eólico no Kansas, EUA, ao longo de 20 anos, com a Great Plains Energy, anunciou, esta segunda-feira, a empresa.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa liderada por Manso Neto informa que, através da sua subsidiária EDP Renewables North America LLC, estabeleceu um contrato de 20 anos, com a Great Plains Energy, para a venda de energia produzida por 200 MW pelo projeto eólico Prairie Queen, que está localizado no Allen County, Kansas, sendo esperado o início das operações em 2019.

Com este novo contrato, refere, a EDPR irá expandir a sua atividade no estado do Kansas, para um total de 600 MW, tendo já assegurado 1,5 gigawatt (GW) em contratos nos EUA, para projetos a serem instalados em 2016-2020, atingindo atualmente 82% da meta de 1,8 GW nos EUA para o período.

“O sucesso da EDPR em assegurar novos contratos reforça o seu perfil de baixo risco e a sua estratégia de crescimento baseada no desenvolvimento de projetos competitivos com visibilidade de longo-prazo”, acrescenta.

O mercado dos EUA é o maior da EDPR em termos de capacidade instalada e de produção.

A empresa começou a operar no país em 2007 e atualmente detém parques eólicos e solares nas regiões da Califórnia, Illinois, Indiana, Iowa, Kansas, Minnesota, Nova Iorque, Ohio, Oklahoma, Oregon, Texas e Washington.

Impulsionada pela capacidade adicionada ao longo do ano, em dezembro de 2017 a EDP Renováveis geria um portefólio de 11 GW em 11 países, dos quais 5,2GW na Europa, 5,5 na América do Norte e os restantes 0,3GW no Brasil.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP Renováveis tem novo projeto eólico nos Estados Unidos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião