PS não trabalha com PSD em “áreas de risco” para a solução governativa

  • ECO
  • 3 Março 2018

Segurança Social é um dos exemplos utilizados por Carlos César em entrevista à Antena1. O presidente do PS salienta que há visões diferentes neste âmbito.

O presidente do PS garante que não está a trabalhar com o PSD “em áreas de risco para a unidade dos partidos que apoiam o Governo”. Apontando para o caso da Segurança Social diz: “certamente que isso abalaria muito a nossa relação à esquerda mas abalaria muito também o próprio Partido Socialista”.

Em entrevista à Antena1, Carlos César indicou ainda que o PSD atravessa uma “fase conturbada” com a nova liderança. “Para já, a grande prioridade com certeza do Dr. Rui Rio não é a de atentar contra a solução política atual do Governo, mas a de acautelar a sua solução política no próprio interior do PSD”, vincou o líder do grupo parlamentar do PS.

Já sobre a lei de financiamento dos partidos, Carlos César mostrou-se confiante na promulgação do diploma, sem comentar a posição do Bloco de Esquerda, que chumbou a proposta dos socialistas numa junção de forças com a direita.

O presidente do PS entende ainda aque existe um problema de “interlocução social” em Portugal. “Quando nós ouvimos uma organização representativa do empresariado, nós não ficamos com a certeza de que essa organização esteja a representar de facto a opinião dos empresários”, afirma. Comparando a opinião de confederações sobre a economia ou o desempenho do Governo com as declarações individuais de empresários representativos do investimento, “uma coisa não se conjuga com a outra”, remata Carlos César.

 

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PS não trabalha com PSD em “áreas de risco” para a solução governativa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião