Portugal registou o maior número de patentes dos últimos dez anos. Porto lidera

O Porto é a cidade que mais se destaca: fez 16% de todos os pedidos de patente apresentados em Portugal.

As empresas e institutos de investigação portugueses registaram 68 patentes no ano passado, o número mais elevado dos últimos dez anos. A tecnologia de medição e a tecnologia médica são as áreas tecnológicas líderes em Portugal e o Porto é a cidade que mais se destaca: fez 16% de todos os pedidos de patente apresentados em Portugal.

O número de pedidos de patentes feitos por Portugal junto do Instituto Europeu de Patentes até diminuiu, passando de 158 em 2016 para 149 no ano passado. Mas o número de patentes europeias efetivamente concedidas pelo instituto a entidades portuguesas aumentou em mais de 15%, para um total de 68, o número mais alto dos últimos dez anos, segundo a informação divulgada esta quarta-feira pelo Instituto Europeu de Patentes.

Fonte: Instituto Europeu de Patentes

Os pedidos de patentes provenientes de Portugal cresceram 100% na área de tecnologia médica, dá conta o instituto. Já as tecnologias com mais pedidos de patentes em Portugal são a medicação e tecnologia médica (representando 8% do total), sistemas de processamento (7%) e engenharia civil (7%).

Fazendo a análise por instituições, o laboratório INL – International Iberian Nanotechnology Laboratory, sediado em Braga, tornou-se em 2017 no maior requerente de pedidos de patentes em Portugal, com oito pedidos. Do top 5 deixou de fazer parte a Novadelta – Comércio e Indústria de Cafés.

Fonte: Instituto Europeu de Patentes

Quanto a regiões, Minho e Douro Litoral são as que apresentam maior número de pedidos de patentes. Já o Porto lidera o ranking das cidades, com 25 pedidos de patentes, um crescimento de 56% que colocou Lisboa no segundo lugar, com 21 pedidos.

A nível europeu, o instituto recebeu um total de 166 mil pedidos de patentes no ano passado, um crescimento de 3,9% em relação a 2016. Estados Unidos, Alemanha, Japão, China e, pela primeira vez, França, são os países com maior número de pedidos de patentes na Europa.

Este crescimento, considera o presidente do Instituto Europeu de Patentes, Benoît Battistelli, “confirma a atratividade da Europa enquanto mercado líder na área da tecnologia”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal registou o maior número de patentes dos últimos dez anos. Porto lidera

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião