Revista de imprensa internacional

  • Juliana Nogueira Santos
  • 12 Março 2018

No Japão, Abe viu o seu nome removido de documentos ligados a favorecimentos. Nos cinemas mundiais, o filme da Marvel Black Panther continua a bater recordes.

As multinacionais estão a ficar para trás nos impostos, enquanto as casas em Londres também estão a ver os preços a cair. No Japão, Abe viu o seu nome removido de documentos ligados a favorecimentos. Nos cinemas mundiais, o filme da Marvel Black Panther continua a bater recordes. Esta e outras notícias que marcam as manchetes dos jornais internacionais.

Financial Times

Multinacionais pagam menos impostos que antes da crise

As grandes multinacionais estão a pagar menos impostos que aqueles que pagavam antes da crise, ou seja, há uma década. A análise revela que a fiscalidade sobre os resultados destas empresas caiu 9%, comparando com 2008. A pressão dos governos para reduzirem défices fez baixar os impostos, mas há também estratégias fiscais que ajudam estas grandes companhias. Entre estas destacam-se as tecnológicas, com a Amazon a liderar. Deveria ter pago 40% de imposto sobre o rendimento em 2017 e pagou menos de 5%. Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado/conteúdo em inglês).

Reuters

Referências a Shinzo Abe e à sua esposa removidos de documentos ligados a escândalo de favorecimento

Vários documentos relacionados com um escândalo de favorecimento, e que incluíam referências ao primeiro-ministro japonês e a sua mulher, foram alterados de forma a remover essas referências. Em causa está a venda de um terreno público por um preço mais baixo que o avaliado a uma empresa gerida por alguém próximo de Akie, a mulher de Abe. O primeiro-ministro já pediu desculpa pelas alterações, assumindo a responsabilidade, mas deixando de fora a possibilidade de renuncia. Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre/conteúdo em inglês).

The Guardian

Preços das casas em Londres caem 15% em 12 meses

O Brexit continua a ditar quedas para o Reino Unido, agora no imobiliário. Dados da Your Move mostram que os preços das casas caíram 15% no último ano, ou seja, uma desvalorização de mais de 100 mil libras, em alguns casos. Enquanto na zona de Wandsworth, uma casa custava em média 805 mil libras, em janeiro de 2017, os números deste ano apontam para um custo médio de 685 mil libras. Ainda assim, os bairros da zona noroeste de Inglaterra estão a registar os aumentos mais altos da história, assumindo-se agora como a zona de maior crescimento no país. Leia a notícia completa no The Guardian (acesso livre/conteúdo em inglês).

Expansión

Regulador espanhol autoriza OPA da ACS sobre a Abertis

Um dos maiores negócios da história espanhola pode estar perto de ser fechado. A CNVM, reguladora espanhola dos mercados, aprovou a OPA que a ACS lançou sobre a Abertis, através da sua participada alemã Hochtief. A empresa está disposta a pagar 18,35 euros para cada ação da operadora de autoestradas. O jornal aponta para que a proposta lançada pela Atlantia seja retirada, acabando assim com um dos impasses mais valiosos em território espanhol. Leia a notícia completa no Expansión (acesso livre/conteúdo em espanhol).

The Verge

Black Panther ultrapassa 1.000 milhões em bilheteira

O mais recente filme da Marvel continua a bater recordes de bilheteira. Após o fim de semana de estreia na China, que rendeu 66,5 milhões de dólares em bilheteira, Black Panther ultrapassou a marca dos 1.000 milhões de dólares em bilheteira a nível mundial. Nos quatro primeiros dias de exibição, o filme tinha conseguido bater o recorde de Star Wars: Episódio VIII – Os Últimos Jedi, seguindo-se o título de melhor estreia de fevereiro — detido até então por Deadpool, outro personagem do universo Marvel –, a segunda melhor estreia da Marvel — depois d’Os Vingadores. Leia a notícia completa no The Verge (acesso livre/conteúdo em inglês)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião