Atrasos do SNS nos pagamentos ameaçam Hospitais Senhor do Bonfim

  • ECO
  • 21 Março 2018

O complexo privado Hospitais Senhor do Bonfim não paga salários desde janeiro. Em causa, uma dívida de meio milhão de euros do SNS com "mais de um ano", que só agora começou a ser liquidada.

Manuel Agonia, presidente da administração dos Hospitais Senhor do Bonfim.ESTELA SILVA / LUSA

O Sistema Nacional de Saúde (SNS) teria em dívida mais de meio milhão de euros” ao complexo Hospitais Senhor do Bonfim (HSB), avança esta quarta-feira o Jornal de Negócios (acesso pago). A dívida estava por liquidar “há mais de um ano” e levou ao agravar da situação financeira do complexo hospitalar privado de Vila do Conde que, com a chegada do fim do mês de março, ainda não teria liquidez para pagar os salários de janeiro e fevereiro aos cerca de 350 trabalhadores. Esta semana, a dívida começou a ser abatida.

Quem o explicou foi o empresário Manuel Agonia, presidente do conselho de administração daquela unidade de saúde. Segundo o jornal, não haveria luz verde do Governo para que o Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde pagasse ao HSB os serviços por estes prestados. Do lado do Governo, a dívida seria desconhecida até esta segunda-feira.

Mas, parte do passivo deverá ser abatido ainda esta semana. Ao final desta terça-feira, foi conhecida a intenção do Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde de abater o montante devido ao “Senhor do Bonfim” em pouco menos de 145 mil euros. Além disso, segundo o Diário de Notícias, já foram pagos outros cerca de 75 mil euros, uma operação viabilizada pelo recente reforço do capital dos hospitais levado a cabo pelo Estado.

O HSB é o maior hospital privado em Portugal, que ameaçou fechar portas perante este difícil cenário financeiro. Ainda assim, segundo o Jornal de Negócios, Manuel Agonia deverá reunir esta quarta-feira com um investidor estrangeiro. Em cima da mesa, uma proposta de 153 milhões de euros por metade do capital da companhia. A intenção de abrir o capital a novos acionistas foi conhecida no final do ano passado.

Hospitais portugueses demoram 196 dias a pagar as contas

Esta quarta-feira, o jornal Público (acesso condicionado) avançou também que, em média, os hospitais portugueses demoraram 196 dias a pagar as contas. O valor diz respeito aos últimos três meses do ano passado e a tendência é de aumento desde o início de 2016, sublinha o jornal. Entre meia centena de hospitais, 33 levaram mais de 90 dias a saldar as contas.

O Público indica ainda que o montante total em dívida pelos hospitais portugueses também tem subido. No final de janeiro, deviam um total de 951,9 milhões de euros, mais 14% do que deviam no final do mês anterior e um disparo de 55% em relação ao mesmo mês de 2017. Os dados foram recolhidos pelo jornal no Portal do SNS.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Atrasos do SNS nos pagamentos ameaçam Hospitais Senhor do Bonfim

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião