Negócio fechado. Academia de Código compra Codeplace

A startup Academia de Código adquiriu a portuguesa Codeplace. Agora, o foco é escalar o projeto e chegar ao mercado norte-americano.

A startup portuguesa Academia de Código, que se dedica a ensinar linguagens de programação, adquiriu a plataforma portuguesa Codeplace, uma empresa que funciona como uma escola online de código informático. O anúncio foi feito pela empresa no Facebook: “A primavera começou, pessoal. Hoje, damos oficialmente as boas-vindas à Codeplace”, lê-se numa mensagem publicada esta quarta-feira. O montante da operação não foi revelado.

Num comunicado enviado às redações, a empresa acrescenta que este é “um passo essencial na estratégia de internacionalização da empresa portuguesa, que pretende chegar aos Estados Unidos antes do final do ano, depois do sucesso dos programas piloto do projeto ‘Academia de Código Júnior’ na Grécia, Itália e Polónia”.

Na base da aquisição está o facto de o responsável da Academia de Código, João Magalhães, acreditar no projeto da Codeplace. “Há anos que seguíamos o excelente trabalho do Tiago Martins e da sua equipa, primeiro na Stuk.io e depois na Codeplace. Acreditamos no canal online como complemento à nossa oferta e na criação de leads para os nossos bootcamps, especialmente com a nova versão de Ruby 5 que vem facilitar a introdução à programação para iniciantes.”

O presidente executivo acrescenta ainda que a operação dota a Academia de Código de um mais rápido processo de aquisição de escala. “Esta aquisição vai permitir-nos escalar mais rápido, chegando a todos os que nos procuram, assegurando a nossa presença no online e no offline, sempre com foco na criação de emprego”, refere João Magalhães, citado na nota enviada às redações.

Em cima da mesa, um objetivo comum às duas startups: tornar mais divertida a aprendizagem da programação, uma capacidade muito valorizada no mercado de trabalho face à constante digitalização da economia e da sociedade.

As duas startups portuguesas de ADN nacional têm vindo a promover o emprego, através da aquisição de hard skills e da capacitação dos alunos para funções ligadas à tecnologia e informática. Contudo, o jornal explica ainda que o objetivo da aquisição por parte da Academia de Código, que terá sido financiada com capitais próprios, é o de escalar as operações com visa a uma entrada no mercado norte-americano. As primeiras negociações, aliás, já estão em curso.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Negócio fechado. Academia de Código compra Codeplace

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião