Sindicato espera adesão superior a 90% na greve dos tripulantes da Ryanair no domingo

  • Lusa
  • 31 Março 2018

O Sindicato do Pessoal de Voo da Aviação Civil espera uma adesão superior a 90% à greve dos tripulantes de cabine da Ryanair no domingo, o segundo de três dias de paralisação não consecutivos.

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil disse este sábado que espera uma adesão superior a 90% à greve dos tripulantes de cabine da Ryanair no domingo, o segundo de três dias de paralisação não consecutivos.

“A expectativa para este segundo dia de greve é uma adesão superior à registada no primeiro dia, próximo dos 90%. No entanto, fomos informados por outros sindicatos europeus, que a Ryanair se prepara novamente para violar o Código do Trabalho, ao pretender substituir grevistas com tripulantes de outras bases de diferentes países”, indicou, em comunicado, o SNPVAC.

Para o sindicato esta é uma das “inúmeras ilegalidades” que a companhia irlandesa está a cometer, pautando-se por uma “atitude de total desrespeito para com o povo português e a soberania do país”, apesar de “não se fazer rogada em receber milhões de euros pelos contribuintes portugueses”.

O SNPVAC garante que os tripulantes de cabine “não vão desistir” e exige ao Governo e às entidades competentes, como a Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT), “uma atuação rápida e dura” com a Ryanair.

“Apelamos, mais uma vez, à intervenção rápida e decidida do Governo e das autoridades competentes para impedir mais este ataque à nossa soberania”, concluiu.

Os tripulantes de cabine da Ryanair em Portugal cumprem a partir das 00h00 deste domingo de Páscoa o segundo dia de greve – de três não consecutivos – para exigir que a companhia aérea irlandesa aplique a lei nacional.

Em causa está o cumprimento de regras previstas na legislação nacional como a parentalidade, garantia de ordenado mínimo, bem como a retirada de processos disciplinares por motivo de baixas médicas ou vendas a bordo abaixo dos objetivos da empresa.

Sem responder às acusações do sindicato, a Ryanair divulgou um comunicado para garantir que a greve provocou apenas “ligeiras perturbações” na operação e afirmou a sua gratidão pelos funcionários “ignorarem” a paralisação.

O SNPVAC convocou esta greve de tripulantes de cabine da Ryanair porque as conversações com a transportadora “verificaram-se infrutíferas” sobre as exigências para aplicar a lei portuguesa, nomeadamente o direito de parentalidade e baixas médicas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sindicato espera adesão superior a 90% na greve dos tripulantes da Ryanair no domingo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião