Diretora-geral das Artes demitida por “perda de confiança política”

  • ECO e Lusa
  • 4 Maio 2018

O Ministério da Cultura anunciou que Paula Varanda foi demitida do cargo de diretora-geral das Artes. O ministério de Luís Filipe Castro tomou conhecimento de factos que tornam incompatível no cargo.

O Ministério da Cultura anunciou esta sexta-feira ter cessado as funções da diretora-geral das Artes por “perda de confiança política”. Paula Varanda estava no cargo desde 1 de junho de 2016, tendo sido já escolhida pelo atual ministro Luís Filipe Castro.

“O Ministério da Cultura tomou a decisão de determinar a cessação de funções da Diretora da Direção-Geral das Artes, Paula Varanda, por perda de confiança política. O Ministério da Cultura tomou conhecimento de factos que tornam incompatível a manutenção de Paula Varanda no cargo Diretora-Geral das Artes”, pode ler-se no comunicado do ministério de Luís Filipe Castro Mendes, sem acrescentar mais detalhes. O comunicado não explica a que factos se refere.

O Público avança entretanto, citando o gabinete do ministro da Cultura, que em causa estará a ligação de Paula Varanda à Dansul – Dança para a Comunidade no Sudeste Alentejano, uma associação fundada em 2001, e sediada em Mértola, de que não terá deixado de ser diretora artística mesmo após a sua entrada em funções na DGArtes.

Tanto Castro Mendes como o seu secretário de Estado, Miguel Honrado, foram surpreendidos por uma investigação do programa Sexta às Nove, da RTP, que irá para o ar esta noite. A Dansul é uma estrutura financiada pela DGArtes, o que coloca Paula Varanda numa situação de ilegalidade, explica o Público.

O Governo realça que “todos os trabalhos em curso sob responsabilidade da Direção-Geral das Artes deverão decorrer dentro da normalidade e dos prazos previstos”.

O comunicado acrescenta que o Ministério da Cultura solicitará à CReSAP a abertura de um novo concurso para o cargo.

Paula Varanda é diretora-Geral das Artes desde 1 de junho de 2016, revela a página na internet deste organismo.

É Investigadora doutorada pela Middlesex University de Londres em Estudos artísticos e humanidades (2016), participou em conferências e publicou livros e artigos de crítica e análise de espetáculos e projetos artísticos e culturais (2004-2017), acrescenta a DGA.

Fez também direção artística e gestão de projetos nas artes performativas (1994-2016) e foi assessora do Instituto da Artes para o planeamento, execução e avaliação de mecanismos de apoio ao setor profissional (2004-2007), informa o mesmo site.

 

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Diretora-geral das Artes demitida por “perda de confiança política”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião