EUA anunciam primeiras sanções contra o Irão. Teerão vai continuar a cumprir acordo nuclear

  • Lusa
  • 10 Maio 2018

Donald Trump já anunciou as primeiras sanções contra o Irão desde que decidiu retirar os Estados Unidos do acordo nuclear. Mas Teerão vai continuar a cumprir.

Os Estados Unidos anunciaram esta quinta-feira sanções contra uma rede de financiamento dos Guardas da revolução, o exército de elite do regime iraniano, através de transferência de divisas entre os Emirados Árabes Unidos e o Irão.

Estas sanções, as primeiras desde que o Presidente dos EUA Donald Trump anunciou na terça-feira a saída do seu país do acordo nuclear iraniano, dirigem-se a seis indivíduos e três entidades iranianas.

Os alvos das sanções são acusados de integrarem “uma vasta rede de troca de divisas que forneceram e transferiram milhões de dólares à Força Quds dos Guardas da revolução”, precisa em comunicado o departamento do Tesouro norte-americano.

Conseguido depois de 21 meses de duras negociações, o acordo foi assinado, por parte dos Estados Unidos, pelo antecessor de Trump, Barack Obama.

Irão deve continuar a respeitar o acordo

Ao mesmo tempo, o presidente da Comissão de Política Externa e Segurança Nacional do parlamento iraniano garantiu esta quinta-feira, em Lisboa, que “o Irão continua vinculado ao acordo nuclear enquanto a Europa assumir os seus compromissos”.

Alaeddin Boroujerdi salientou que “se é um acordo vigente, com signatários internacionais, as partes têm de respeitar esse acordo”, pelo que, garantiu, o Irão mantém as responsabilidades assumidas.

“Em certos tempos, um acordo assinado internacionalmente funciona como garantia, mas, infelizmente, os Estados Unidos quebraram essa norma”, declarou, em alusão à saída dos Estados Unidos do acordo nuclear, assinado em 2015 entre o Irão e o grupo dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido), a que se juntou a Alemanha.

Em conferência de imprensa na embaixada do Irão em Lisboa, Alaeddin Boroujerdi, em visita a Portugal “num quadro de diplomacia parlamentar”, referiu esperar que “a Europa vai continuar com os seus compromissos”.

“O Presidente dos Estados Unidos disse que vai sair do acordo nuclear e esta atitude demonstrou que não podemos confiar agora nos acordos internacionais”, enfatizou, acrescentando a possibilidade de os norte-americanos pressionarem os países europeus para deixarem também o acordo de enriquecimento de urânio do Irão.

“Se a Europa não conseguir resistir a pressões norte-americanas, não existe mais justificação para o Irão continuar este caminho e, certamente, chegaremos a uma situação em que teremos de decidir com base nos interesses do nosso país”, frisou.

O presidente da Comissão de Política Externa e Segurança Nacional do parlamento iraniano salientou ainda que o Irão vai respeitar os “regulamentos internacionais” e que “aceita as restrições impostas pela Agência Internacional de Energia Atómica”. Contudo, Boroujerdi notou que o Irão “tem de continuar com o enriquecimento de urânio” e lembrou que “o único instrumento de defesa” que tem “são esses mísseis, essa capacidade de desenvolver mísseis”. “Nos oito anos de guerra com o Iraque, nem tínhamos mísseis para nos defendermos”, concluiu.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EUA anunciam primeiras sanções contra o Irão. Teerão vai continuar a cumprir acordo nuclear

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião