Lucros da CGD em Espanha crescem 51% para 9,3 milhões

  • Lusa
  • 17 Maio 2018

Filial espanhola do banco público português fechou o primeiro trimestre do ano com lucros de 9,3 milhões de euros. Recorde-se que o Governo português aprovou no final de 2017 a venda desta operação.

A filial em Espanha da Caixa Geral de Depósitos teve um lucro de 9,3 milhões de euros no primeiro trimestre de 2018 (mais 51% face ao período homólogo), depois de ter tido um ganho de 26,4 milhões em 2017 (mais 3,8%).

Em comunicado de imprensa, o Banco Caixa Geral (CGD Espanha) sublinha a sua “boa trajetória”, com 17 trimestres consecutivos com resultados positivos, desde o primeiro trimestre de 2014, e o reforço do rácio de solvência de 17,27% no final de 2017 para 18,5% no final de março.

A CGD anunciou há uma semana lucros 68 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, o que compara com prejuízos de 38,6 milhões de euros do mesmo período de 2017.

O banco público revelou na altura que a contribuição para este resultado das filiais e sucursais no estrangeiro totalizaram 38 milhões de euros, com o BNU Macau a contribuir com cerca de 15 milhões, a sucursal francesa com 7 milhões, o BCI Moçambique com 7 milhões e esta quinta-feira ficou-se a saber que a CGD Espanha contribuiu com 9,3 milhões.

O Banco Caixa Geral destaca que os depósitos de clientes cresceram 7% em 2017, para 2.950 milhões de euros, enquanto o crédito aos clientes subiu 3%, para 3.446 milhões de euros.

A taxa de crédito em mora era de 3,07% no final de 2017, “uma das mais baixas do setor financeiro”, segundo a filial da CGD.

No final do ano passado, os fundos próprios do Banco Caixa Geral eram de 508 milhões de euros, um aumento de 5,5% em relação a um anos antes.

A rentabilidade da filial medida através do ROE (taxa de retorno sobre o património) era de 7,28% no final de março do corrente ano, um aumento de 2,22 pontos percentuais em relação a um ano antes.

O Banco Caixa Geral pertence ao grupo português da Caixa Geral de Depósitos e tem em Espanha uma rede comercial de 110 balcões e mais de 500 trabalhadores.

O Governo português aprovou em 20 de dezembro último a venda das filiais da CGD em Espanha (Banco Caixa Geral), África do Sul (Mercantile Bank Holdings Limited) e Brasil (Banco Caixa Geral – Brasil).

A administração da CGD comprometeu-se junto da Comissão Europeia a abandonar estes três mercados, no âmbito da capitalização estatal de 3,9 mil milhões de euros.

Lisboa deverá aprovar em breve o caderno de encargos das várias operações de venda, assim como a lista das empresas interessadas em comprar.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucros da CGD em Espanha crescem 51% para 9,3 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião